quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Indiferença...

Primeiro levaram os negros!
Mas não me importei com isso
Eu não era negro…
Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário
Depois prenderam os miseráveis.
Mas não me importei com isso,
Porque eu não sou miserável.
Depois agarraram uns desempregados,
Mas como tenho o meu emprego,
Também não me importei
Quando vieram e me levaram…
Mas agora já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém,
Ninguém se importa comigo.

Bertold Brecht (1898-1956)

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Adopte um terrorista...

Uma cidadã canadiana, revoltada pelas imagens passadas nas noticias da TV, decidiu exprimir o seu desacordo e lamentava da sorte reservada aos «combatentes» afegãos, prisioneiros nos centros de detenção no Afeganistão.
Eis a tradução da resposta, que o ministro canadiano da Defesa dirigiu a esta boa alma.


National Defence Headquarters
MGen George R. Pearkes Bldg, 15 NT 101 Colonel By Drive Ottawa , ON K1A 0K2
Canada

Cara cidadã inquieta,
Obrigado pela sua recente carta exprimindo a sua profunda preocupação a propósito da sorte dos terroristas da Al Qaida capturados pelas forças canadianas, transferidos de seguida para o governo afegão e presentemente detidos pelos seus oficiais nos centros nacionais de reagrupamento de prisioneiros no Afeganistão.

A nossa administração toma este assunto muito a sério e a sua mensagem é recebida com muita atenção aqui em Ottawa.

Ficará feliz de saber que, graças à preocupação de cidadãs como a senhora, criámos um novo departamento na Defesa Nacional, que se chamará P.L.A.R.A., isto é, «Programa dos Liberais que Assumem a Responsabilidade pelos Assassinos».

De acordo com as directrizes deste novo programa, decidimos eleger um terrorista e colocá-lo sob a vigilância pessoal da senhora.

O seu detido particular foi seleccionado e será conduzido sob escolta fortemente armada até ao domicilio da senhora em Toronto a partir da próxima segunda-feira.

Ali Mohammed Ahmed bin Mahmud (poderá chamar-lhe simplesmente Ahmed) será tratado segundo as normas que a senhora pessoalmente exigiu na carta de reclamação.

Provavelmente será necessário que a senhora recorra a assistentes. Nós faremos inspecções semanais a fim de nos certificarmos, com a mesma firmeza da sua carta, de que Ahmed beneficia realmente dos cuidados e de todas as atenções que nos recomenda.

Apesar de Ahmed ser um sociopata extremamente violento, esperamos que a sensibilidade da senhora ao que descreve como o seu «problema comportamental» o ajudará a ultrapassar as suas perturbações de carácter.

Talvez a senhora tenha razão quando descreve estes problemas como simples diferenças culturais.

Compreendemos que tenha a intenção de lhe proporcionar conselhos e educação ao domicílio.

O seu terrorista adoptado é temivelmente eficaz nas disciplinas de close-combat e pode dar fim a uma vida com objectos simples, tais como um lápis ou um corta-unhas.

Aconselhamo-la a não lhe pedir para fazer uma demonstração durante a próxima sessão do seu grupo de yoga.

Ele é igualmente especialista em explosivos e pode fabricá-los a partir de produtos domésticos. Talvez seja melhor que a senhora os guarde fechados à chave, salvo se considerar (segundo a opinião que exprime) que isso o possa ofender.

Ahmed não desejará manter relações com a senhora ou com as suas filhas (excepto sexuais), na medida em que considera que as mulheres são uma espécie de mercadoria sub-humana.

É um assunto particularmente sensível para ele, que é conhecido por manifestar reacções violentas em relação a mulheres que não se submetem aos critérios de vestuário que ele recomenda como mais próprios.

Estou convencido de que, com o tempo, virá a apreciar o anonimato que oferece a burkha. Recorde que isso faz parte do «respeito pelas crenças religiosas», como escreve na sua carta.

Mais uma vez, obrigado pelos seus cuidados. Apreciamos bastante que cidadãos nos indiquem como fazer bem o nosso trabalho e ocupar-nos dos nossos congéneres.

Tome bem conta de Ahmed e lembre-se de que a observaremos.

Boa sorte e que Deus a abençoe.

Cordialmente,

Gordon O'Connor
Ministro da Defesa Nacional

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Procura-se "Amante"...


Este é um interessante livro escrito pelo Dr. Jorge Bucay - "Hay que buscarse un Amante", que descreve o desespero de alguns dos seus pacientes:

"Muitas pessoas têm um amante, e outras gostariam de ter um. Há também as que não têm, e as que tinham e perderam.
Geralmente são estas últimas que vêem ao meu consultório para me contar que estão tristes ou que apresentam sintomas típicos de insónia, apatia, pessimismo, crises de choro, ou as mais diversas dores.
Elas contam-me que as suas vidas correm de forma monótona e sem perspectivas, que trabalham apenas para sobreviver e que não sabem como ocupar o tempo livre. Enfim, são várias as maneiras que elas encontram para dizer que estão simplesmente a perder a esperança. Antes de me contarem tudo isto, já tinham estado noutros consultórios, onde receberam as condolências de um diagnóstico firme: "Depressão"... além da inevitável receita do anti-depressivo do momento. Assim, depois de as ouvir atentamente, eu digo-lhes que elas não precisam de nenhum anti-depressivo. Digo-lhes que o que elas precisam é de um Amante!

É impressionante ver a expressão dos olhos delas ao receberem o meu conselho. Há as que pensam: "Como é possível que um profissional se atreva a sugerir uma coisa destas?!".
Há também as que, chocadas e escandalizadas, despedem-se e não voltam nunca mais. Às que decidem ficar e não fogem horrorizadas, eu explico-lhes o seguinte: Amante é "aquilo que nos apaixona". É o que toma conta do nosso pensamento antes de adormecermos, e é também aquilo que, às vezes, nos impede de dormir. O nosso Amante é o que nos mantém distraídos em relação ao que acontece à nossa volta. É o que nos mostra o sentido e a motivação da vida.

Às vezes encontramos o nosso amante no nosso parceiro, outras vezes, em alguém que não é nosso parceiro, mas que nos desperta as maiores paixões e sensações incríveis. Também podemos encontrá-lo na pesquisa científica ou na literatura, na música, na política, no desporto, no trabalho, na necessidade de nos transcendermos espiritualmente, numa boa refeição, no estudo, ou no prazer obsessivo do nosso passatempo preferido...

Enfim, Amante é "alguém" ou "algo" que nos faz "namorar" a vida e nos afasta do triste destino de "ir vivendo". E o que é "ir vivendo"?

"Ir vivendo" é ter medo de viver. É vigiar a forma como os outros vivem, é o deixarmo-nos dominar pela pressão, andar por consultórios médicos, tomar remédios multicoloridos, afastarmo-nos do que é gratificante, observar decepcionados cada ruga nova que o espelho nos mostra, é aborrecermo-nos com o calor ou com o frio, com a humidade, com o sol ou com a chuva. "Ir vivendo" é adiar a possibilidade de viver o hoje, fingindo contentarmo-nos com a incerta e frágil ilusão de que talvez possamos realizar algo amanhã.
Por favor, não se contentem com "ir vivendo". Procurem um amante, sejam também um amante e um protagonista da vossa vida...
Acreditem que o trágico não é morrer, porque afinal a morte tem boa memória e nunca se esqueceu de ninguém. O trágico é desistir de viver, por isso, e sem mais delongas, procurem um amante.

A psicologia, após estudar muito sobre o tema, descobriu algo transcendental:
"Para se estar satisfeito, activo, e sentirem-se jovens e felizes, é preciso namorar a vida".

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

A origem do @

De onde vem o misterioso sinal @, a que os portugueses chamam «arroba», os norte-americanos e ingleses «at», os italianos «chiocciola» (caracol) e os franceses «arobase»?
Porque razão foi ele escolhido para os endereços de correio electrónico? Na verdade, não conhecemos ao certo a origem deste misterioso símbolo. Nem estávamos preocupados com o problema, até que ele começou a entrar no nosso dia-a-dia e foi preciso arranjar-lhe uma designação.

A princípio, os portugueses chamavam-lhe «caracol», «macaco» ou outro nome claramente inventado. Depois, houve quem reparasse que a Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira dizia tratar-se do símbolo de arroba, pelo que esse nome pegou.

Que terá a arroba a ver com esse sinal? Não se sabe ao certo, mas há pouco mais de um ano, o investigador italiano Giorgio Stabile, descobriu um documento veneziano datado de 1536 onde esse símbolo aparecia.

Estava aí a representar ânforas, utilizadas como unidades de peso e volume. Posteriormente, num vocabulário Latim-Espanhol de 1492, Stabile encontrou o termo «arroba» como tradução castelhana do latim «amphora». A ânfora e a arroba, concluiu o investigador italiano, estariam na origem da estranha letra retorcida.

Igreja de S. Francisco em Extremoz.
No século XVII o mesmo símbolo reapareceu, mas com outro significado. Utilizava-se para abreviar a preposição latina «ad», que significa «para», «em», «a», e que se usava para introduzir os destinatários das missivas. Condensava-se o «a» e o «d», num único carácter. É a chamada ligatura. O dicionário brasileiro Aurélio diz que ligatura é a «reunião, num só tipo, de duas ou mais letras ligadas entre si, por constituírem encontro frequente numa língua». Nesse mesmo dicionário da língua portuguesa confirma-se o símbolo @ como abreviatura de arroba.

O misterioso @ continuou a ser utilizado até ao século XIX, altura em que aparecia nos documentos comerciais. Em inglês lia-se e lê-se «at», significando «em» ou «a». Quem percorra as bancas de fruta ou os mercados de rua norte-americanos vê-o frequentemente. Os vendedores escreviam e continuam a escrever «@ $2» para significar que as azeitonas se vendem a dois dólares (cada libra, subentenda-se). Para eles não se trata de nenhuma moda: sempre viram aquele símbolo como a contracção das letras de «at».

«1696, Fevereiro 8, Porto - Carta do Provedor e Irmãos da Misericórdia do Porto para o Bispo do Porto, D. João de Sousa». Biblioteca Pública da Ajuda, Cota: BPA, 54-VIII-5, N.º 98b (cortesia de Vasco J.R. Silva).
Quando o correio electrónico foi inventado, o engenheiro Ray Tomlinson, o primeiro a enviar uma mensagem entre utilizadores de computadores diferentes, precisou de encontrar um símbolo que separasse o nome do utilizador do da máquina em que este tinha a sua caixa de correio. Não queria utilizar uma letra que pudesse fazer parte de um nome próprio, pois isso seria muito confuso. Conforme explicou posteriormente, «hesitei apenas durante uns 30 ou 40 segundos... o sinal @ fazia todo o sentido». Estava-se em 1971 e esses 30 ou 40 segundos fizeram história, mas criaram um problema para os países não anglo-saxónicos. Não foi só nos teclados, foi também na língua.
Fonte: Instituto Camões, Nuno Crato

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Segundas-feiras!

Há quem odeie as segundas-feiras!
Começa-se a sentir ao domingo à noite, um cansaço antecipado, uma falta de paciência gigantesca e, não há dúvida, há pessoas para quem as manhãs do primeiro dia da semana são um autêntico pesadelo.
E a rotina começa: o despertador que toca, as crianças estremunhadas e rabugentas a quem é preciso vestir, não se despacham a beber o leite, autocarros que passam já cheios, as filas intermináveis de trânsito, ou para quem leva carro, é um pesadelo encontrar um lugar para estacionar e, depois, chefes e colegas igualmente apanhadinhos pelo síndroma da segunda-feira...
Segundo uma revista britânica de medicina, há mais probabilidades de se ter um ataque de coração à segunda-feira e é nesse dia que acontecem a maioria dos acidentes no trabalho.
Mas como tudo tem aparentemente uma explicação, isto devem-se a factores psicológicos, físicos e biológicos.
Depois de dois dias sem horários e em que se gasta o tempo da forma que mais gostamos, é duro voltar aos toques do despertador e às obrigações que cada um arranjou para si, sabe-se lá porquê.
Na opinião dos estudiosos destes assuntos, a explicação é tão simples que se torna complexa: aos fins de semana, as pessoas deitam-se tarde e levantam-se mais tarde, passando a haver um factor biológico semelhante ao jet-lag.
Quando o corpo habituado a levantar-se às sete, está dois dias a levantar-se ao meio-dia, fica baralhado e portanto na próxima noite (domingo), recusa-se a adormecer à hora habitual e assim, quando o despertador na segunda-feira toca às sete, ele simplesmente reivindica mais umas horas de sono.
No domingo à noite, o inconsciente começa a lembrar-se das coisas chatas que costumam acontecer nos principios de semana ou aquilo que se deixou pendente lá no emprego e que tem de ser resolvido logo à chegada...
Mas a boa notícia é que, se odeia as segundas-feiras é porque provavelmente adora os seus fins de semana?!
Bom, segundo os estudiosos, é tudo uma questão de organização: evitar deitar-se demasiado tarde aos fins de semana, não comer demasiado antes de se deitar, recomendam também que se deve acordar apenas uma hora depois do habitual e, no domingo antes de se deitar, deixar tudo organizado de forma a não ter desesperos de manhã, à procura das coisas meio ensonado, porque isso lhe vai estragar o dia.
Texto adaptado da revista Noticias Magazine

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Sleep Box...

Trata-se de, como o nome indica, uma pequena caixa de 2m X 1,40m X 2,30m para dormir com conforto e segurança.
Oferece momentos de sono tranquilo e descanço numa qualquer cidade que se esteja de passagem, sem perda de tempo à procura de um hotel.
Foi idealizada para estar em aeroportos, estações de combóio, locais públicos centrais, entre outros locais, onde possa haver aglomerações de pessoas exaustas, que acabaram de fazer longas viagens.
Em países de clima temperados, estas "slip boxes" podem ser utilizadas também nas ruas, tal como as casas de banho públicas.

Graças a estas "sleep boxes" qualquer pessoas pode dormir ou descansar durante algumas horas de forma barata, confortável e segura.
Este espaço foi estudado para conter uma cama e está equipado com um sistema de mudança automático de lençóis, sistema de ventilação, alerta sonoro, televisão com LCD incorporada, WiFi...

... plataforma para usar o computador portátil e phones recarregáveis.
Debaixo do chão há ainda um espaço para arrumar as malas de viagem.
O pagamento pode ser feito em terminais partilhados, que depois dão ao cliente uma chave electrónica, sendo possivel comprar esse descanso, desde 15 minutos a várias horas.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Vacina anti-câncer pele e rins


Boas notícias são para partilhar!
Já existe vacina anti-câncer (pele e rins).
Foi desenvolvida por cientistas médicos brasileiros, uma vacina para estes dois tipos de câncer, que se mostrou eficaz, tanto no estágio inicial como em fase mais avançada.
A vacina é fabricada em laboratório, utilizando um pequeno pedaço do tumor do próprio paciente. Após 30 dias está pronta, e é remetida para o médico oncologista do paciente.

Nome do médico que desenvolveu a vacina:
José Alexandre Barbuto
Hospital Sírio Libanês - Grupo Genoma.
Telefone do Laboratório: 0800-7737327 - (falar com Dra. Ana Carolina ou Dra. Karyn, para maiores detalhes)
www.vacinacontraocancer.com.br

Isto sim, é algo que precisa de ser divulgado até porque alguém pode estar a precisar!
Por favor, divulguem esta vitória da medicina genética brasileira.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

O amuleto

...um granjeiro pediu certa vez a um sábio, que o ajudasse a melhorar a sua granja, que estava a ter muito baixo rendimento. Então o sábio, escreveu algo num pedaço de papel e colocou-o numa caixa, que fechou e entregou ao granjeiro, dizendo :
"-Leva esta caixa para todos os lados da tua granja, três vezes ao dia, durante um ano e verás um excelente resultado."
Assim fez o granjeiro: logo de manhã, ao ir ao campo com a caixa debaixo do braço, encontrou um empregado que dormia, quando deveria estar a trabalhar. Aborrecido, acordou-o e chamou a atenção com uma tremenda repreensão.
Ao meio dia, quando foi ao estábulo, encontrou o gado sujo e os cavalos sem alimentos, teve de fazer essa tarefa com outros empregados. À noite, quando chegou à cozinha com a caixa, deu-se conta de que o cozinheiro estava a desperdiçar alguns géneros alimentares…
A partir daí, todos os dias ao percorrer a sua granja, de um lado para o outro, com com o seu precioso amuleto debaixo do braço, encontrava sempre coisas que deveriam ser corrigidas.
No final do ano, já com resultados bastante positivos, voltou a encontrar o sábio, agradeceu-lhe e pediu-lhe:
-"Por favor, deixa esta caixa comigo por mais um ano. A minha granja melhorou o rendimento desde que estou com este amuleto."
O sábio sorriu e, abrindo a caixa, disse apontando para o papel que tinha escrito um ano antes:
- "Meu amigo, podes ter este amuleto pelo resto da tua vida."
No papel havia escrito a seguinte frase :
"se queres que as coisas melhorem deves acompanhá-las constantemente".

Amuletos são apenas "muletas" ou "bengalas" para nos ajudar a confiar em nós mesmos! Mas é interessante como podemos achar, crer mesmo piamente, que um objecto inanimado, completamente sem vida, possa ter mais energia ou ser mais poderoso do que nós mesmos…

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010


Uma rosa sonhava dia e noite com

a companhia das abelhas,

mas nenhuma vinha pousar nas suas pétalas.

A flor, entretanto, continuava a sonhar:

durante longas noites, imaginava um céu

onde voavam muitas abelhas,

que vinham carinhosamente beijá-la.

Desta maneira, conseguia resistir até ao próximo dia,

quando tornava a se abrir com a luz do sol.

Certa noite, conhecendo a solidão da rosa,

a Lua perguntou:

- Você não está cansada de esperar?

- Talvez! Mas preciso continuar lutando.

- Porquê?

- Porque, se eu não me abrir, eu murcho.

Nos momentos onde a solidão parece esmagar toda a beleza,

a única maneira de resistir, é continuarmos abertos.”

Paulo Coelho

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Tratado da "Tolerância"


Está generalizada a revolta de todos os cidadãos do mundo devido às actuais medidas tomadas pelas direcções dos aeroportos! A privacidade das pessoas está posta em causa, uma vez que há máquinas para nos "desnudar" literalmente falando, e ainda foi aumentado o tempo de embarque, o que já era muito e agora passou a ser desesperantemente longo, em especial em aeroportos de grande movimento. Tudo porquê? A violência aumenta de dia para dia, ninguém está seguro em parte alguma, porque se perderam valores, porque há diferenças de religiões e os fanáticos actuam com violência e, porque ninguém se entende...
Há 245 anos, Voltaire já pregava o fim das desigualdades, dos preconceitos étnicos e religiosos, e apesar de todo este tempo passado, o homem continua cada vez mais separado do seu irmão nesta escola chamada VIDA.
A prova maior disso é que somos pequenos demais para entender as mensagens que temos recebido desde que Cristo esteve entre nós.

Bastante triste tudo isto, não?

Tratado da "Tolerância" - Voltaire - 1763
"Não é mais aos homens que me dirijo!
É a Ti, Deus de todos os seres, de todos os mundos e de todos os tempos:
Que os erros agarrados à nossa natureza não sejam motivo das nossas calamidades.
Tu, Senhor, não nos destes um coração para nos odiarmos, nem mãos para nos enforcarmos.
Faz com que nos ajudemos mutuamente a suportar o fardo de uma vida penosa e passageira.
Que as pequenas diferenças entre as vestimentas que cobrimos os nossos corpos, entre os nossos costumes ridículos, entre as nossas leis imperfeitas e as nossas opiniões insensatas, não sejam sinais de ódio e de perseguição.
Que aqueles que acendem velas em pleno dia para Te celebrar, suportem os que se contentam com a luz do sol.
Que os que cobrem as suas roupas com um manto branco, para dizer que é preciso amar-Te, não detestem os que dizem a mesma coisa sob um manto negro.
Que aqueles que dominam uma pequena parte deste mundo, e que possuem algum dinheiro,
desfrutem sem orgulho do que chamam “poder e riqueza” e que os outros não os vejam
com inveja, mesmo porque Tu sabes que não há nessas vaidades nem o que invejar,
nem do que se orgulhar.
Que eles tenham horror à tirania exercida sobre as almas, como também execrem
os que exploram a força do trabalho. Se os flagelos da guerra são inevitáveis,
não nos violentemos em nome da paz.
Que possam todos os homens lembrar-se que são IRMÃOS!”

"Que assim seja!"

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Hoje é dia de Reis...


O Dia de Reis, segundo a tradição cristã, seria aquele em que Jesus Cristo recém-nascido, recebera a visita de "uns magos" que, afinal eram três Reis visitar o Menino e deram-lhe ouro, incenso e mirra. A noite do dia 5 de Janeiro e madrugada do dia 6, é conhecida como a "Noite de Reis".

A data marca, para os católicos, o dia para a veneração aos Reis Magos, que a tradição surgida no século VIII converteu nos santos Melchior, Gaspar e Baltazar. Nesta data, ainda, encerram-se para os católicos os festejos natalícios - sendo o dia em que são desarmados os presépios e por conseguinte são retirados todos os enfeites natalícios.

Em alguns países, especialmente nos países hispânicos, é tradição dar as prendas (de Natal) às crianças neste dia.
Em Portugal nesta altura cantam-se as Janeiras, come-se bolo-rei e as crianças nas escolas, representam a história dos Reis Magos.
Nesta data também é tradição desfazer-se a árvore de natal, pois é o último dia da época natalícia.

Receita da sorte com ROMÃS:
1) No Dia de Reis, dia 6 de Janeiro, pegar numa romã e retirar 9 sementes pedindo aos 3 Reis Magos, Baltasar, Belchior e Gaspar, que no ano que agora se inicia, você tenha muita saúde, amor, paz, dinheiro.

2) Depois pegue em 3 dessas nove sementes e guarde num saquinho de papel, ou de pano. Essas sementes ficarão dentro da carteira para nunca faltar dinheiro.

3) As outras 3 devem ser engolidas e as últimas três que sobram devem ser deitadas para trás das costas, fazendo o pedido que desejar. Dizem que é infalível! Você pode não ficar rico, mas na sua carteira, vai ter sempre algum dinheiro.

sábado, 2 de janeiro de 2010

Pequim - A Rua Wangfujing...


A famosa rua comercial Wangfujing, também conhecida por Rua do Ouro, fica na região central da capital chinesa. Tem cerca de dois mil metros de extensão, enfileiram-se lojas de todo tipo, que atraem diariamente milhares de turistas.
Esta concorrida rua está no centro histórico de Pequim, a leste da Praça Tian´anmen e, perto dela, passa a linha do Metro, que tem uma estação com o mesmo nome da rua.
A primeira vez que aqui vim, foi em 1997 e havia imensas lojas antigas e pequenas ruas que desapareceram completamente com a remodelação desta zona para receber os turistas dos Jogos Olimpicos de 2008. No ano passado, não reconheci quase nada!

A zona de Wangfujing, surgiu como via comercial em 1903, quando muitas empresas e bancos se instalaram ali, devido à proximidade com o bairro, onde então se concentravam as embaixadas estrangeiras.
Dos anos 1950 em diante, a rua Wangfujing era um centro comercial consolidado, tendo o Mercado Dong´an e a Baihuodalou como as principais lojas de departamentos.

Tornou-se uma rua comercial moderna e próspera que concentra serviços de compras, lazer e entretenimento, com Centros Comerciais cujos corredores são de perder a vista, onde se podem ver as mais famosas marcas internacionais.

Outro ponto curioso, é a Igreja católica St. Joseph´s Cruch. Conhecida por ser uma igreja ocidental, (existem 20 igrejas católicas em Pequim), é uma das mais importantes igrejas da cidade e foi restaurada nos últimos anos, por isso, tem um aspecto belíssimo.
De visita à igreja aguardava-nos uma surpresa: nas traseiras, descemos ao andar inferior e fomos encontrar uma excelente exposição de quadros a óleo, feita por um padre que, para além de ser ele o artista, tomava conta da igreja.
Esta, torna-se muito interessante à noite, quando se encontra toda iluminada.

As livrarias na China deixam-me encantada, não só porque a maioria delas são de uma extensão fora do comum, como normalmente são acolhedoras, com os livros bem ordenados nas prateleirase, com uma secção para estrangeiros...

... e ainda com locais para leitura, incluindo quase sempre um espaço para tomar uma bebida e ficar a ler um livro, ou revista, se lhe apetecer.
É claro que nesta rua, não podia deixar de haver uma dessas livrarias... se quer comprar livros, aqui está uma delas, de publicações em chinês e em línguas estrangeiras.
Além dos actuais edifícios modernos, continua a ser a rua que concentra o maior número de lojas centenárias no país:

Esta é uma zona antiga que foi conservada depois da remodelação da Rua Wangfujing. Tem casas de chá muito antigas e tradicionais, lojinhas que vendem doces e outras guloseimas favoritas dos asiáticos e que despertam a curiosidade dos estrangeiros para prová-las.

Por toda a zona, se encontram este tipo de artigos, desde antiguidades, às bugigangas, bonequinhos, quadros, candeeiros, loiças, etc, um mundo de comércio, onde as vendedoras gritam a anunciar os seus produtos e a interpelar os que passam, fazendo ofertas tentadoras...

Muitas lojas ficaram famosas pelos serviços prestados a aristocratas, altos funcionários e à casa imperial. É o caso da loja Ruifuxiang, na rua Wangfujiang, que se dedica principalmente ao comércio de tecidos de seda e roupas de estilo chinês como o gipão, túnicas de seda, e roupas com design da dinastia Tang. Foi criada em 1893, no reinado do imperador Guangxu da dinastia Qing e, quando foi fundada a Nova China, a primeira bandeira nacional de cinco estrelas foi feita com a seda da loja Ruifuxiang e a fama vem também das primeiras-damas estrangeiras que ali iam comprar cortes de seda, echarpes ou roupas.
PATO À PEQUIM
video
Na Rua Wangfujing, há muitos restaurantes famosos e mercearias de tradição histórica, como o Restaurante de Pato Laqueado de Pequim, a loja Wufangzhai, a loja Quansuzhai, o Restaurante Goubuli, o restaurante Donglaishun, é só escolher.
Porém, aqui fica uma mostra do movimento e da técnica de corte, do famoso "Pato à Pequim", do Restaurante Quanjude aberto desde 1864 e que já conheço desde 1997, embora tenha encontrado agora tudo remodelado e quase irreconhecível, continuam a servir bem e a qualidade mantém-se.

Nesta altura do ano, muitas lojas exibem este doces, na sua maioria confeccionados de frutos de diversas regiões. Pelo aspecto apelativo e pela qualidade deste tipo de produtos, as vendas sobem em flecha, para se fazerem ofertas aos amigos e familiares nestas datas festivas.

TENDINHAS DE COMIDA

A vida nocturna é o que mais atrai os turistas à avenida. Não só pela agitação, que a noite traz, neste mercado nocturno, é possível encontrar uma infinidade de comidas, desde espetadinhas de carne, panquecas, camarão frito, lulas...

e ainda... outras iguarias da gastronomia chinesa, tais como espetadinhas de escorpião e de larvas, (entre outras infinidades de bicharocos), que tal?

Mas existem petiscos feitos na rua de bom aspecto, muito apetitosos e que têm uma fila de clientes para os comprar.
É o caso destes deliciosos jianjiao fritos, de camarão, carne ou legumes, desaparecem rapidamente dos tabuleiros.

Com o frio que faz, que tal umas castanhas quentinhas e estaladiças?

Não têm só este bom aspecto, como são doces e baratas. Com 2 ou 3 yuan, fica empaturrado para o resto da noite.

Bom... mas da nossa parte, preferimos uns crepes enroladinhos em mel, que fizeram na maioria das vezes, as nossas delicias!
Se vier a Pequim, um passeio pela Rua Wangfujing é indispensável para o seu programa de visitas. Pode estar certo disso!