sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Um poema inacabado


...um poema inacabado
é como um filho por fazer
é como um beijo com sabor de sal

um poema inacabado
é o caminho por onde vou
é o trilho que eu não quero seguir

um poema inacabado
é aquilo que eu não sou
é o amor que não amei

um poema inacabado
é o grito que eu calei
as palavras que não falei

um poema inacabado
é a diferença inaceitável
é a confusão descontrolada

um poema inacabado
é a vida que eu não vivi
aquilo que não fui
os sonhos que não realizei

um poema inacabado
é um orgasmo que ainda não provei...

3 comentários:

Rogério Miguel Puga disse...

Nao a sabia poet(is)a, mas gostei muito de a ler!
Parabens.
Rogerio

Rogério Miguel Puga disse...

Nao a sabia poet(is)a, mas gostei muito de a ler!
Parabens.
Rogerio

MACAU BANGKOK O MAR DO POETA disse...

Saudades no cais deixei
ficando assim aliviado,
esqueci quem tanto amei
jamais serei atraiçoado.

O mar, esse sei que é traiçoeiro,
mas a ele estou habituado,
o tenho por amigo e companheiro
sei que dele sou sempre amado.

Suas águas vou percorrendo,
as marés as vou contando
e aos poucos envelhecendo
mas dele sempre gostando.

Neste mar imenso e salgado
suas águas vou sulcando
tendo o leme bem calibrado
minhas mágoas vou soltando.

Tenho o mar e o céu por companhia.
à noite as estrelas cou comtemlando
e o sol que raia de dia
esses me vão acompanhando.

Vivo um pouco na solidão
não tenho com que falar,
fortalece meu coração
tenho Deus para me ajudar.

O rumo nunca perdi
com o norte sempre atinei,
foi nele que sempre vivi
e nele sempre estarei.

É sempre bom conselheiro
para quem com ele souber falar,
ele é bom é fiel companheiro
que sempre nos sabe amar.

Meu rumo está destinado,
ao longe o cais já avisto,
a ele ficarei amarrado
nesta viagem, tudo está previsto.

O mar, este, agora de berço me serve,
depois será minha sepultura,
minhas cinzas ele conserve
quando chegar a altura.

Depois, para sempre nele repousarei,
findarão as minhas mágoas
e eternamente navegarei
em suas serenas águas.

Outros máres outros oceanos
irei então encontrar,
findam assim os desenganos
a quem na vida tanto soube amar.



Em respota ao seu belo poema inacabado aqui fica este, que no fundo indica igualemente o caminho que todos nós um dia tomaremos.

Um abraço amigo