quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Anorexia e Bulimia


A luta insaciável de homens e mulheres na busca da perfeição física e de um padrão de beleza inatingível, que assola a sociedade contemporânea, acaba por distanciá-los cada vez mais da própria felicidade e satisfação pessoal.
A Bulimia e a Anorexia é uma compulsão alimentar, bem como obesidade, metrossexualidade e vigorexia.
Deixar de comer ou começar a comer de forma exagerada e desaparecer de seguida, procurando refúgio e isolamento, pode muito bem ser um indicador de que a sua filha está a entrar no mundo dos anorécticos/bulímicos – ou mesmo, que já lá está.
Prepare-se e prepare o resto da família: aproxima-se uma longa cruzada que conta com poucos aliados e muitos inimigos difíceis de combater, uma vez que só existem na cabeça de quem sofre da doença.
-"Espelho! Espelho meu, há alguém mais gordo do que eu?"

Um dia, o espelho começa a reflectir a imagem de uma menina gorda, deformada, de quem ninguém gosta. E torna-se urgente a perda de algumas gramas de gordura, até porque aquelas jeans, de repente, também já não lhe servem – ou estão excessivamente apertadas e reveladoras da gordura que se torna, aos seus olhos, demasiado evidente, assim como a t-shirt que a melhor amiga lhe ofereceu, igual à sua e que cai tão bem no seu corpo magro, liberto do excesso de peso, muito diferente daquele que lhe aparece no espelho do seu quarto.

Decide que tem de começar a fazer dieta, ou aquilo que entende como assim sendo: recusa farináceos e deixa de comer bolos e pão. Mas continua demasiado gorda. Tudo, porque, às vezes, não resiste à vontade de comer e devora, literalmente, a comida que lhe aparece à frente.
Depois, o sentimento de culpa é tal que só lhe resta fugir em direcção ao espelho, à balança e à casa de banho mais próxima: é preciso deitar fora o que acaba de ingerir; é preciso fazer desaparecer todas as calorias que estão a mais; é preciso ser magra, bonita, amada.
Olhando para as revistas, para a TV, para os filmes, etc., é quase imposto um estereótipo em que a magreza é um factor importantíssimo, se não indispensável, para o sucesso social e económico de uma pessoa.
Tal influência é bastante negativa em crianças e adolescentes, em que a sua personalidade ainda está em formação, e casos de garotas entre 11 a 14 anos anoréxicas existem com relativa frequência.
A Anorexia bem como a Bulimia, consiste num distúrbio alimentar que tem como causas variadas, aspectos socioculturais, assim como factores de desenvolvimento, dado que desde a infância, raparigas e rapazes recebem diferentes imagens acerca do corpo através dos media, da família, dos amigos, etc., criando diferentes atitudes em relação ao seu corpo.
É um distúrbio alimentar difícil de detectar porque, ao contrário da anorexia nervosa, a pessoa apresenta um peso normal.
Neste distúrbio, a pessoa come repetidamente em excesso, normalmente comida com muitas calorias. Pode incluir misturas incríveis de comida crua e cozinhada, doce e salgada, em enormes quantidades. Algumas mulheres morrem após tais excessos, devido à rotura do estômago, sob pressão.
Quais as causas? Alguns estudos indicam que acontece mais frequentemente a pessoas que passaram por eventos traumáticos anteriormente, como rejeição familiar ou abuso físico e/ou sexual, também possuem um maior risco de serem anoxéricas.
Pessoas em certas profissões, tais como atletas, bailarinos, dançarinos, ginastas ou modelos, podem motivar uma pessoa a decidir por diminuir o seu peso, possivelmente resultando em transtorno alimentar. O perfeccionismo também é um factor de risco.
Como consequência, a pessoa sente-se mal, com sentimentos de culpa. Da mesma forma, sente um medo doentio da obesidade, o que a leva a tomar medidas drásticas para evitar o que acha um resultado natural: o aumento de peso!

Sendo assim, força o vómito introduzindo os dedos na garganta e pode, até, tomar grandes quantidades de laxantes ou diuréticos, procedimentos que guarda em segredo dos amigos e familiares e que lhe ocupam todo o seu tempo. As experiências clínicas têm revelado que as doentes anoréxicas possuem, em geral, uma personalidade rígida e obsessiva.
No caso da Bulimia, pode desenvolver-se posteriormente em pessoas anoréxicas
A orientação terapêutica, tem prevalecido no recurso a sedativos, com elevadas doses de neurolépticos ou de ansiolíticos, a que se associa uma dieta rica em hidratos de carbono.

A consolidação da cura exige, por vezes, uma intervenção psicoterápica mais ampla, no âmbito do sistema familiar, quando a perturbação se mantém por virtude de descompensações geridas a esse nível.
Concluindo! Para que uma rapariga recupere deste tipo de doenças, tanto na Bulumia como na Anorexia, terá de sofrer profundas alterações no interior de si própria, sendo muito importante o papel da família, amigos e, muita e muita paciência e compreensão para esta doença.
Para mais informações:
http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?139

3 comentários:

Anónimo disse...

Olá amiga
É sempre um prazer visitar o teu blog. Desta vez vejo que trataste de temas bem sérios e actuais. Gostei muito destas tuas publicações. Continua amiga, gostei!
Um grande abraço.
Vasco

Anónimo disse...

Ai minha amiga
É uma doença terrivel sim. A filha da minha colega também teve esse problema há mais de quinze anos e sofre outros problemas derivados da anorexia. Que Deus nos livre de tal coisa na nossa vida.
Beijos
Ana

Foca45 disse...

Este é um dos muitos resultados da sociedade de consumo que nos oprime e escraviza.