domingo, 23 de agosto de 2009

Leitura & Palavras



A LEITURA
O maior património de uma pessoa não está depositado em bancos, guardado em cofres, nem pode ser contabilizado. O maior património de uma pessoa é exactamente o que ela é hoje, e o potencial do que ela pode vir a ser no futuro. Está relacionado com a sua formação, com o seu conhecimento, a sua capacidade de adaptação a um mundo em constante modificação e, é claro, ao que ela pode realizar neste cenário.

A informação é o melhor capital que podemos ter.
É seguro: ninguém lhe pode tirar aquilo que já detém em termos de conhecimento.
É democrático: está ao alcance de todos, independentemente de idade, raça, credo e classe social. É atemporal: o saber nunca sai de moda, há sempre algo novo que surge.

A melhor e mais eficiente ferramenta para conseguir o conhecimento, é o bom hábito de leitura. Desde os tempos mais remotos, o homem valoriza a expressão por meio da escrita. Assim foi e é ainda hoje contada a história da humanidade. Assim, também, é contada a história pessoal de cada um de nós.

Ler, não é uma atitude passiva! Há uma verdadeira interacção entre o que está escrito e o cérebro que recebe, processa, analisa criticamente cada informação e retém o que é do seu interesse.
Ler abre a janela da nossa vida para mundos diferentes e distantes.
Ler possibilita a mágica de estar num lugar, sem nunca antes ter estado fisicamente.
Ler é uma experiência intelectual, emocional e sensorial.

Numa sociedade competitiva, estar bem informado é essencial para alcançar boa colocação profissional, disputar as melhores oportunidades e se relacionar com as pessoas e com o mundo à sua volta. No passado, o slogan de uma campanha publicitária dizia que “o mundo trata melhor quem se veste bem”. Hoje, no entanto, a aparência não basta. É preciso conteúdo!



AS PALAVRAS
Se me disseres que me amas, acreditarei; mas se escreveres que me amas, acreditarei ainda mais.
Se me falares da tua saudade, acreditarei; mas se escreveres sobre ela, eu a sentirei junto contigo.
Se a tristeza vier e te consumir e me contares, eu saberei; mas se a descreveres no papel, o seu peso será menor...


... e são assim, as palavras escritas! Possuem um magnetismo especial, libertam, acalentam, evocam emoções, expressam um estado de alma! Elas possuem a capacidade de, em poucos minutos, de cruzar mares, saltar montanhas, atravessar desertos intocáveis, chegar ao céu e falar com os anjos.
Muitas vezes, infelizmente, perde-se o autor, mas a mensagem sobrevive ao tempo, atravessando séculos e gerações. Elas marcam um momento que será eternamente revivido por todos aqueles que a lerem.
Leia, porque através da leitura, viaja e sonha!
Use a palavra a todo o instante, de todas as maneiras, porque a sua força é imensurável.
Lembre-se do poder das palavras ditas e escritas: "Quem escreve constrói um castelo, e quem lê, passa a habitá-lo".

2 comentários:

MACAU BANGKOK O MAR DO POETA disse...

Estimada Amiga Irene,

Bem Vinda a nossa casa, após umas reconfórtantes férias, de novo aqui está em força.
Lindo este seu artigo com o qual compartilho a 100%, a maior riqueza está em nós e naquilo que vamos fazendo no nosso dia a dia.
Felizmente que ainda vou acompanhado o que se passa no mundo, a minha rica biblioteca que possuia a levei para Portugal, mas mesmo sem ela, continuo lendo e escrevendo, embora mal, mas adaptado estou a 100% ao meio em que vivo.
Adorei, e como sempre acompanho a sua maravilhosa escrita.
Um abraço amigo

Anónimo disse...

Já dizia o Humberto Eco: -"na Antiguidade, a maior riqueza era a informação."
Porque a maioria das pessoas naquela época eram analfabetas, os monges, eram os senhores de tudo por saberem ler e assim, ao deterem a informação,detinham também o PODER.
Hoje em dia, basta dar uns xutos na bola melhor que uns tantos...