terça-feira, 15 de setembro de 2009

A Noiva


Ei-la toda de branco! Aos pés, o imenso véu
como em flocos de espuma, espalhado no chão...
No ar, dentro do olhar, cabe inteirinho um céu,
e leva um céu maior dentro do coração...

Nos lábios... Ah! nos lábios o sabor do mel,
e uma carícia em flor se entreabre em cada mão,
- e que tremor no braço, ao deixar no papel
o nome dela, o dele... os dois desde então...

O amor é uma companhia.
Já não sei andar só pelos caminhos,
Porque já não posso andar só.

Um pensamento visível faz-me andar mais depressa
E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo.
Mesmo a ausência dela, é uma coisa que está comigo.
E eu gosto tanto dela, que não sei como a desejar.

Se a não vejo, imagino-a e sou forte como as árvores altas.
Mas se a vejo tremo, não sei o que é feito do que sinto na ausência dela.
Todo eu sou qualquer força que me abandona.
Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio".
Alberto Caeiro

Quantas pessoas vão e vêm, entram nas nossas vidas, causam emoções, danos ou surpresas...
Mas todo o ser humano anseia pela sua "metade", por compreensão, carinho, partilha, companheirismo... poucos são os que chegam ao fim da caminhada juntos, mas o casamento é sempre uma esperança, uma procura da porta aberta para a suposta felicidade...

2 comentários:

Luis F disse...

Eis um texto para reflectir e meditar... gostei de ler

Os meus parabens

Com amizade
Luis

Anónimo disse...

Olá amiga
Há muito tempo que não vinha visitar-te e mais uma vez surpreendo-me com a tua criatividade e... paciência!
Como sempre adorei tudo. Beijinhos.
Sissi