quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Pastel de Nata à Lord Stow em Macau


Para quem quer que viva ou visite Macau, certamente saboreou já o famoso pastel de nata, confeccionado desde 1989 em Coloane, por um farmacêutico inglês, que deu pelo nome de Andrew Stow, também conhecido por Lord Stow.

Pode não ser o genuíno pastel de nata português, mas que tem tido um enorme sucesso, isso ninguém pode negar.
Andrew Stow queria oferecer aos Portugueses algo que fosse genuinamente português, mas era demasiado orgulhoso para pedir a receita. Mas é certamente um caso de sucesso, não só em Macau, mas também em Hong Kong, Taiwan, Japão e Filipinas onde tem algumas filiais.
Andrew Stow, foi agraciado pelo Governo de Macau no dia 20 de Janeiro de 2006, com a Medalha de Mérito pelos bons serviços prestados ao Turismo da RAEM.

Esta é a foto de Andrew e da sua irmã Eileen Stow que nos relata esta história de sucesso:

Estava-se no final de 1978 quando, tendo-lhe sido recusado pelo patrão um aumento salarial, Andrew Stow encontrou num jornal de farmácia a oferta de emprego para o Extremo Oriente. Conseguiu o emprego imediatamente pois era o único candidato que sabia como utilizar uma máquina para a produção de comprimidos. Parecia que o destino lhe batia à porta, mas aonde ficaria, afinal Macau?

O ano de 1979 começou para Andrew Stow com um novo emprego como farmacêutico industrial, numa firma francesa chamada Laboratório Anglo-Francês. Fazia a pé o caminho de sua casa, no Bagiou Court, até ao laboratório, situado na Rua dos Pescadores.

Começou a aprender Português com a sua colega de trabalho, Isaura porque... ela não falava Inglês!...

Sendo o único jovem Inglês em Macau, Andrew tornou-se muito popular entre as jovens. Era um frequentador dos Crazy Paris shows no casino do Hotel Lisboa e conhecia muitas recepcionistas de hotel. Era um homem de carácter chamejante que adorava festas.

Algum tempo depois, o laboratório Anglo-Francês decidiu mudar as suas operações para os Estados Unidos, mas Andrew não queria mudar. Porquê mudar? Ele gostava era do ritmo de vida que Macau lhe oferecia.

Sem um sponsor, ele precisava de investir para poder ficar. A primeira ideia que lhe surgiu foi a Tropical Health Food, uma empresa de produtos dietéticos. Em 1984 iniciou o negócio, conjuntamente com a sua namorada local, Margaret, com quem viria a casar.

Andrew fez uso dos seus conhecimentos médicos para importar alimentos e suplementos alimentares de qualidade. Mas, este conceito de negócio estava 20 anos à frente do seu tempo. Andrew precisava de receitas regulares para poder manter a empresa.

Foi então que o destino lhe estendeu a mão por intermédio de Juan Pablos, Gerente Geral do Hyatt Regency Hotel, o qual convidou o Andrew para Gerente do Green Parrot Disco. Era a posição ideal para Andrew, a oportunidade de se tornar rei no seu próprio castelo.

Os residentes de Macau dessa época certamente se lembrarão de que, por meados dos anos 80, as melhores noites de Macau incluíam forçosamente jantar em Macau, umas bebidas no velho Hotel Bela Vista e uma corrida de taxi através da única (e vazia) ponte até à Taipa, onde a noite terminava no Green Parrot Disco – o melhor clube da cidade – com o Andrew ao leme.

Naquela época, os Portugueses chamavam a Andrew “Lord Stow”, devido a influência que tinha sobre a sua vida social: Poderão entrar? Poderão encontrar boas mesas? Será o Andrew discreto, se as esposas aparecerem subitamente?

Como estagiário de Hyatt, Andrew foi transferido para o restaurante Afonso e a sua alcunha “Lord Stow” aumentou de popularidade. Portugueses, Macaenses e Chineses gostavam do facto do restaurante ter um Inglês meio "surdo", como responsável. Ele não entenderia aquilo de que falavam. Mas Andrew acabou por conhecer os jovens e as jovens que viriam a ser o futuro da Sociedade e do Governo de Macau.

Os Stows gostam de ser patrões de si próprios e a lição da empresa de produtos dietéticos ensinou a Andrew que as senhoras gostam de pão de qualidade. A sua principal importação era farinha de trigo.
Com a ajuda dos seus amigos na padaria do Hotel Hyatt, o Andrew desenvolveu a sua própria receita para pão e bolos.

A Padaria “Lord Stow” em Coloane abriu as suas portas no dia 15 de Setembro de 1989. O Andrew apelidou-a com esse nome para toda a gente saber quem era o dono. “Nunca receies colocar o teu próprio nome por cima da tua porta” era o seu lema.

Pretendendo oferecer aos Portugueses expatriados uma especiaria nacional, Andrew desenvolveu a sua própria receita de Pastel de Nata. Mas Andrew não tinha a receita e misturou as coisas com ingenuidade Inglesa para obter a nata. “Ele estragou tudo!” disse o seu amigo Wilfred Picklemeyer, que ensinara a Andrew umas coisas básicas sobre pastéis.

Mas a história terminaria por mostrar que o Andrew acabava de criar uma receita que se tornaria num êxito em toda a Ásia e um ícone para Macau.

Infelizmente, Andrew faleceu subitamente nos fins de 2006, devido a asma, com a idade de 51 anos. Macau perdeu assim um homem de carácter, que será lembrado não só localmente, mas também além dos confins da comunidade expatriada.

Entretanto, a presença do Andrew permanece em cada pastel de nata confeccionado em Coloane e consumido em Macau diariamente. É o seu legado para Macau que ele tanto amou e disse que nunca abandonaria.

É assim o destino! Bem haja o sumítico patrão inglês que lhe recusou o aumento salarial em 1978!

4 comentários:

MACAU BANGKOK O MAR DO POETA disse...

Estimada Amiga e Ilustre Romancista Irene,

Tive o prazer de conhecer o Lord, quando trabalha no Hyatt e acompanhei o seu percurso da vida.
Por essa altura estava eu em serviços nas ilhas e era cliente dele,mas só nos belos pães.
Os pasteis de nata ele foi bastante esperto, o que s+o vem provar que os inventores desse delicioso pastel, nada fiream para o divulgar em Macau.
Presentemente os pasteis de nata mais saborosos, que se vendem em Macau, é no Café Nata, pertença da viúva do Lord.
Em meu parco blog, o ano passado escrevi um artigo sobre os pasteis de nata em Macau e náo só.
Aqui na Tailandia há à venda pasteis de nata rsrsrs, mas como bom portugues prefiro os pasteis de Belém, ou náo fosse eu adepto do Belenenses.

Um abraço amigo e já agora afaste os tufões de Macau!...

Zé Carlos disse...

Amiga querida, nem me fale em pastéis de nata!!!!!!
Eu comia os de minha avó que veio de Trás Os Montes em Portugal!!!!

Beijos e saudades ... ZC

Anónimo disse...

Gostei dessa história como o Andrew acaba por criar uma receita que se tornou de facto num êxito em toda a Ásia e num ícone para Macau.
Tal como eu, poucos devem saber que... ele era farmaceutico!
Um abraço amigo.

Anónimo disse...

Eu sempre que posso, vou lá comer os pasteis de nata. São uma delicia! (O blog não aceita o meu hotmail!?)
João