quinta-feira, 10 de setembro de 2009

...sobre o Tremoço, Gengibre e Café

Está na moda tudo o que é natural. Cada vez mais, se procuram soluções na área da saúde, evitando medicamentos fabricados à base de químicos, o que já se provou ser nefasto para a saúde.
Aqui ficam para já três sugestões bastante curiosas:

O TREMOÇO
O tremoço é visto muitas vezes como um simples aperitivo, mas, raramente, nos damos conta das vantagens que ele pode trazer para a nossa saúde.
Sendo uma leguminosa da mesma família das ervilhas e das favas, o tremoço é, extremamente, tóxico quando é colhido da planta, ainda em grão seco.
Só depois de cozido e demolhado em água salgada se torna, agradavelmente, comestível e bastante generoso em matéria de atributos proteícos.
Já na Antiguidade era consumido por diversos povos que lhe reconheciam propriedades vantajosas sendo mesmo, para alguns deles, considerado um alimento base. Mais nutritivo do que o leite ou que a carne, embora não os substitua, ele é rico em proteínas, vitaminas do complexo B e E, cálcio, fósforo, potássio, ferro, fibras e ácidos gordos insaturados (ómega 3 e 6).
É, por isso, excelente para os ossos, contribui para um bom funcionamento do trânsito intestinal, ajuda a controlar a taxa de açúcar no sangue, o colesterol e reduz o apetite. Além disso as suas propriedades emolientes, diuréticas e cicatrizantes favorecem a renovação das células.

O GENGIBRE

É uma planta originária do sudeste asiático, e cultivado em climas tropicais.
É um caule subterrâneo grosso, nodoso e bege; que cresce a 12 polegadas acima do solo com estreitas folhas verdes e flores verdes-amareladas.

Esta planta produz aglomerados de rebentos de flores brancas e cor de rosa que florescem no inverno.
Devido à sua beleza estética e adaptabilidade a climas mornos, a planta é geralmente usada para ornamentação. Também é muito popular pelas suas raízes picantes e aromáticas.
Pesquisas medicinais têm constatado que o gengibre pode, efectivamente, tratar as náuseas causadas pelo movimento quando em viagem. Como a raiz contém diversos antioxidantes, ela é desidratada e transformada em pílulas para uso medicinal.
O Gingerale (refrigerante de gengibre) e Ginger Beer (cerveja de gengibre) têm sido há muito tempo usados para alívio das más digestões. O sumo de gengibre tem sido usado em muitos países para prevenir caimbras. O gengibre fresco tem sido geralmente usado para tratar os sintomas das constipações, gripe, dores de garganta e de cabeça.
De acordo com alguns pesquisadores, o gengibre pode baixar o colesterol, prevenir coágulos no sangue e ataques cardíacos. Isto para não falar nos diversos usos culinários como importante ingrediente em diferentes cozinhas, o gengibre é usado para dar um melhor sabor em sopas, molhos e tornar a carne mais tenra. Ele é usado fresco ou seco, grelhado ou preservado em açúcar, como xarope ou vinagre. Além de adicionar sabor aos tradicionais pratos asiáticos e refeições não vegetarianas, ele é também usado para dar sabor ao chá.
Portanto o gengibre deveria fazer parte da nossa dieta diária.

O CAFÉ
Finalmente, vamos terminar com um produto que consideramos um remate feliz após uma refeição ou um motivo de convívio entre amigos:
o café, que possui características bioquímicas interessantes, é, geralmente, servido quente, levando calor ao organismo, activando a circulação e é tem também acção diurética, tais como derivados de purinas, cafeínas (trimetilxantina), teobromina, tanina, etc.
Existem vários tipos de café, que dependem das normas de cultivo envolvidas. Independente da qualidade do grão, o café passa pela torrefação, que desenvolve o cafeol, uma substância volátil capaz de se dissolver na água, emprestando à infusão grande parte de seu aroma característico.
Pela torrefação, obtém-se também um óleo aromático, que perde 65% do seu aroma após 24h da trituração do café torrado.
O café torrado e moído, quando exposto ao ar, reage com o oxigénio, e ao fim de 9 dias, perde todo o anidrido carbónico e a maior parte dos óleos voláteis. Sendo assim começa a apresentar um sabor cada vez menos agradável e é por isso que se torna necessário fechá-lo a vácuo para evitar a alteração do paladar.
Dependendo do tempo de torrefação o café pode apresentar coloração mais ou menos pronunciada. Quando, na torragem do café, for adicionado açúcar, acentua-se ainda mais a coloração, porém modifica-se a sua pureza.

Influi sobre a preparação final o grau de subdivisões a que foi submetido o café, podendo ser granulado e pulverizado.
Na saúde: o ganho de energia, que melhora a vitalidade, a memória, a atenção e a produtividade.
A cafeína é um auxiliar no tratamento de doenças como o mal de Alzheimer.

E a lista é infindável, mas para já, aqui ficam estas sugestões bastante simples e acessíveis para uma melhor qualidade de vida.

2 comentários:

MACAU BANGKOK O MAR DO POETA disse...

Estimada Amiga e Ilustre Escritora para além de ser uma óptima Nutricista,

Que saudades de mederam esses camarões do Eusébio, havia em Macau, onde regularmente comprava, pois adoro tremoços.
O gengibre esse faz parte, quase sempre, da minha alimentação diária, por vezes até o consumo em forma de rebuçado.
Quanto ao café, bem nesse já estou viciado desde miudo, e não dispenso uma boa bica à nossa maneira.
Coisas boas e saudáveis, quando tomadas com moderação.
O meu muito obrigado por me as fazer relembrar.
Um abraço amigo e as suas melhoras.

Anónimo disse...

Essa dos tremoços eu sabia que baixava o açúcar do sangue. O gengibre é que me custa a engolir, mas já o café é a nossa "medicina" diária.
Beijinhos
Ana