sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Bangkok - Tailândia


No último fim de semana de Novembro, fomos assistir ao casamento de amigos que se realizou em Bangkok, Tailândia e, aproveitámos para passear pela cidade, não só para rever lugares já nossos conhecidos, como para visitar outros, pois esta cidade está sempre em evolução e cheia de novidades...

BANGKOK é a capital da Tailândia e encontra-se nas margens do rio Chao Phraya, com uma população de cerca de 8 milhões de habitantes. É exótica, caótica, tentadora para uns e repulsiva para outros, e provavelmente não existe outra cidade no sudeste asiático, que provoque sentimentos tão confrontados.
Chamada pelos seus habitantes como a "Cidade dos Anjos", Bangkok desenvolveu-se com rapidez e em poucos anos levantaram-se arranha-céus por todos os lados. A cidade convida a caminhar e dando apenas alguns passos, encontramos muitos dos seus atractivos. A diferença de outras grandes capitais da Ásia, é que Bangkok soube preservar e cuidar dos seus encantos, da sua história e dos seus mais de 300 templos (Wat), remansos de paz no meio do caos.

Nos dias de hoje Bangkok é uma metrópole moderna, com oito milhões de habitantes com duas partes fascinantes: a cidade velha, com os palácios e templos do século XVIII, e a cidade moderna, com os seus centros comerciais e zonas de desenvolvimento banhadas pelo rio.
Aqui pode-se visitar as belezas monumentais da cidade, relaxar num parque ou também aventurar-se na vida nocturna, ou ainda fazer compras nas lojas e mercados.

TEMPLOS - GRAND PALACE
Wat Po Temple - Bangkok

Existem muitos templos espalhados por toda a cidade. Normalmente é um bom começo visitar o Grande Palácio, construído em 1782, com residência para a família real nas margens do rio Chao Phraya.
O Grande Palácio, é, actualmente, usado apenas para determinadas cerimónias reais. O espaço encerra cem edifícios, que representam 200 anos de história real. Os turistas não podem entrar dentro do palácio, mas vale a pena caminhar pelos seus jardins. Os telhados coloridos de verde, vermelho e dourado, os pagodes adornados com flores, as pinturas representando as grandes histórias de Buda, todos os detalhes do complexo, estimulam infindáveis cliques nas máquinas fotográficas.
É considerado um dos mais sagrados entre os budistas. O Wat Phra Kaeo é a capela pessoal de Sua Majestade o Rei e é também o venerado lugar do Protector Sagrado da Tailândia, o Buda de Esmeralda.Aqui patenteia-se uma enorme riqueza, com mais de trezentos templos e santuários budistas, como o Templo de Mármore, Templo do Amanhecer e o Templo do Buda Dourado. Rodeado por muralhas, no seu interior encontram-se edificações ao estilo thai e algumas de estilo renascentista ou vitoriano. Quando alguém atravessa as muralhas, descobre então inumeráveis construções que surpreendem pela sua beleza.

O MERCADO FLUTUANTE
Esta é a Veneza dos pobres. O povo, faz toda a sua vida nos canais deste rio, numa zona extremamente pantanosa e pobre, mas colorida, bonita e diferente para os turistas.
O Mercado Flutuante Damnoern Saduak,
encontra-se a 105 km a oeste de Bangkok, em direcção a Ratchaburi. Este é o mais frequentado pelos turistas, já que o antigo e famoso Thonburi, desapareceu por completo há já a alguns anos atrás.
O mais recomendável é visitá-lo na primeira hora do dia (já que pela tarde não tem nenhum interesse) e tivemos de sair do hotel às cinco da manhã, mas valeu a pena, porque é uma experiência única ao fazê-lo numa embarcação programada por uma agência, desde a ponte que cruza o Khlong, é um bom observatório para ver o comércio que se realiza entre as numerosas embarcações, na sua maioria, dirigidas por mulheres.Aqui compra-se e vende-se frutas, verduras, vasilhas, objectos diversos, além da possibilidade de desfrutar de um prato de arroz ou massas cozinhadas das mais variadas formas que se vendem em barcas-restaurantes. Nas margens dos canais existem numerosos postos onde se pode adquirir também quase de tudo.

CORES E SABORES

Primeiro, estranha-se, depois, entranha-se!
Estes petiscos, apesar de serem feitos nas ruas junto do movimento das pessoas e dos automóveis, a maioria dos seus habitantes e até turistas, comem todos estes pitéus e parece que ainda nenhum morreu...A profusão de comida tailandesa vendida na rua tem os seus clientes habituais e os de ocasião que, curiosos sobre os paladares e estas lindas cores, são surpreendidos com o excesso de picante, característica tailandesa.Esta especialidde de fios de ovos em cima de uma pequena panqueca, foi deixada pelos portugueses. Uma delicia!Toda esta abundância de cores, cheiros, de vendedores e movimento, fazem parte de uma cidade simplesmente única e irresistível.
Posso afirmar que são o toque de "charme" da capital da Tailândia e sem eles Bangkok não teria o mesmo encanto! Nesta cidade de contrastes entre a extrema riqueza dos "wats" (templos) e a miséria nas ruas e bairros de lata degradados bem no centro da cidade, os mercados de rua, restaurantes, clubes nocturnos e palácios riquíssimos é impossível ficar indiferente. Aqui os dias começam cedo e acabam muito tarde.

AS COMPRAS
Existem alguns mercados e Centros Comerciais que são verdadeiros paraísos das compras!
Chatuchark MarketDezenas de lojinhas onde se podem admirar colecções culturais de artesanato, antiquários, pintura e afins, bem como se podem encontrar diversos produtos que vão desde roupas, têxteis, joalharia, malas, acessórios, sedas, cerâmicas, ornamentos, móveis, quadros, enfim, há de tudo para todos os gostos cujos preços são competitivamente baixos, para além da grande oferta de restaurantes e bares abertos até bastante tarde.As sedas tailandesas, são as mais procuradas nas compras das senhoras que, ao olhar para elas, não se consegue resistir...

O REI
O governo da Tailândia é uma monarquia constitucional. Em 1946 Bhumibol Adulyadej foi coroado rei, com o titulo de Rama IX.
O respeito ao rei da Tailândia é absoluto, considerando-se tabú ou ofensa qualquer crítica feita a si ou à sua familia. Existe todo um código de protocolo em torno de sua majestade, incluindo evitar olhar-lhe o rosto e prostrar-se à sua frente sem ser de joelhos e de cabeça baixa em sinal de respeito. As cidades de norte a sul, estão salpicadas de bandeiras amarelas (a cor do rei, porque ele nasceu numa segunda-feira), quase todo o povo veste camisolas amarelas em homenagem ao seu rei

Estão espalhadas pelas cidades, placas com as fotos do monarca e da esposa (muito bonita em jovem) nas várias fases da sua vida, principalmente as de quando era mais jovem, dando a impressão de que ele ainda não envelheceu. Toda esta homenagem tem um motivo simples: os tailandeses adoram o seu rei, que mantém o mais longo reinado do mundo. As suas actividades designam-se com uma linguagem especial que só a ele se pode aplicar.
Desde os taxistas aos vendedores, dos funcionários dos hotéis, aos guias turísticos, todos dizem que o seu soberano é um homem bom, que só fez bem ao seu povo e não escondem a admiração que sentem pelo seu soberano. Referem-se a ele, sempre com o maior respeito, sem fazer comentários de qualquer espécie sobre a sua vida pessoal, a qual, aliás, muitos desconhecem. Até os jornais diários tratam-no apenas como "Sua Majestade", sem citar o seu nome e exaltando todas as suas acções como um ser divino.

RELIGIÃO
Cerca de 95% da população é budista, e o país todo tem cerca de 32 mil templos dedicados à religião. Destes, 400 ficam na caótica Bangkok e 320, estão em Chiang Mai, a norte, que é a segunda cidade do país, a 700 km da capital.
O budismo continua a exercer uma forte influência na vida quotidiana da população; os monges antigos são altamente respeitados e os templos e os wat das cidades e aldeias representam o centro da vida social e religiosa. A meditação, um dos aspectos mais populares do budismo, pratica-se regularmente tanto pelos monges como pelo povo.
Os habitantes continuam a fazer cerimónias budistas em muitos dos locais onde acontecem acidentes, para que as almas das vítimas dos seus familiares e amigos que morreram, encontrem o "caminho" da paz.

MONGES
Quando chega o tempo das monções, os monges recolhem aos templos por ser uma época auspiciosa para as ordenações budistas pois é o período de renovação espiritual. Conhecido pelo "Khao Phansa", esta é a altura para os budistas estudarem e meditarem, ficando dentro dos templos durante 3 meses, de Julho a Outubro de cada ano. As tradições e crenças budistas influenciam o modo de vida da população e dão origem a vários festivais religiosos que têm passado de geração em geração.Os jovens adolescentes na Tailândia são obrigados a ingressarem num templo ou mosteiro, para um retiro e, com os parcos recursos que se encontram num balde (que é o seu kit de sobrevivência), pelo menos meditarem 15 dias, para sentirem se têm ou não vocação para monges. Ao fim desse tempo se não quiserem sair, seguem a vocação. Não vi estatísticas de quantos ficam ou saem...

TRANPORTES

Transportes é o que mais há com fartura nesta agitada cidade. Os tuk-tuk (táxis) como mostra esta foto, estão por toda parte. São uma espécie de motocicleta com 3 rodas, com cabine para passageiros. Este meio de transporte é de facto uma forma fácil e económica de percorrer a cidade. Também existem táxis de cores alegres e táxis-barco que ligam as duas margens do rio Chao Phraya. Deve haver cerca de uns 20 parados no rio, sempre à espera de passageiros. Outro meio de transporte atraente é o sky train (comboio-aéreo), tal como o nome indica, é um comboizinho, que “voa” pelos viadutos nesta cidade que nunca dorme.

2 comentários:

MACAU BANGKOK O MAR DO POETA disse...

Estimada Amiga e Ilustre Romancista Irene,
Da Tailândia com amizade, aqui estou nesses locais e noutros que maravilhosa descreveu em seu soberbo artigo.
Bangkok é um mundo, eu que por cá ando á mais de 30 anos, ainda existem locais que desconheço.
Hoje é feriado nacional, Sua Magestade o rei faz anos, por toda a cidade se vive um hambiente de festa e de oração.

Um abraço amigo.

MACAU BANGKOK O MAR DO POETA disse...

Maravilhosamente.
Adorei as fotos a sua contagiante alegria, bem como de seu esposo.