sábado, 2 de janeiro de 2010

Pequim - A Rua Wangfujing...


A famosa rua comercial Wangfujing, também conhecida por Rua do Ouro, fica na região central da capital chinesa. Tem cerca de dois mil metros de extensão, enfileiram-se lojas de todo tipo, que atraem diariamente milhares de turistas.
Esta concorrida rua está no centro histórico de Pequim, a leste da Praça Tian´anmen e, perto dela, passa a linha do Metro, que tem uma estação com o mesmo nome da rua.
A primeira vez que aqui vim, foi em 1997 e havia imensas lojas antigas e pequenas ruas que desapareceram completamente com a remodelação desta zona para receber os turistas dos Jogos Olimpicos de 2008. No ano passado, não reconheci quase nada!

A zona de Wangfujing, surgiu como via comercial em 1903, quando muitas empresas e bancos se instalaram ali, devido à proximidade com o bairro, onde então se concentravam as embaixadas estrangeiras.
Dos anos 1950 em diante, a rua Wangfujing era um centro comercial consolidado, tendo o Mercado Dong´an e a Baihuodalou como as principais lojas de departamentos.

Tornou-se uma rua comercial moderna e próspera que concentra serviços de compras, lazer e entretenimento, com Centros Comerciais cujos corredores são de perder a vista, onde se podem ver as mais famosas marcas internacionais.

Outro ponto curioso, é a Igreja católica St. Joseph´s Cruch. Conhecida por ser uma igreja ocidental, (existem 20 igrejas católicas em Pequim), é uma das mais importantes igrejas da cidade e foi restaurada nos últimos anos, por isso, tem um aspecto belíssimo.
De visita à igreja aguardava-nos uma surpresa: nas traseiras, descemos ao andar inferior e fomos encontrar uma excelente exposição de quadros a óleo, feita por um padre que, para além de ser ele o artista, tomava conta da igreja.
Esta, torna-se muito interessante à noite, quando se encontra toda iluminada.

As livrarias na China deixam-me encantada, não só porque a maioria delas são de uma extensão fora do comum, como normalmente são acolhedoras, com os livros bem ordenados nas prateleirase, com uma secção para estrangeiros...

... e ainda com locais para leitura, incluindo quase sempre um espaço para tomar uma bebida e ficar a ler um livro, ou revista, se lhe apetecer.
É claro que nesta rua, não podia deixar de haver uma dessas livrarias... se quer comprar livros, aqui está uma delas, de publicações em chinês e em línguas estrangeiras.
Além dos actuais edifícios modernos, continua a ser a rua que concentra o maior número de lojas centenárias no país:

Esta é uma zona antiga que foi conservada depois da remodelação da Rua Wangfujing. Tem casas de chá muito antigas e tradicionais, lojinhas que vendem doces e outras guloseimas favoritas dos asiáticos e que despertam a curiosidade dos estrangeiros para prová-las.

Por toda a zona, se encontram este tipo de artigos, desde antiguidades, às bugigangas, bonequinhos, quadros, candeeiros, loiças, etc, um mundo de comércio, onde as vendedoras gritam a anunciar os seus produtos e a interpelar os que passam, fazendo ofertas tentadoras...

Muitas lojas ficaram famosas pelos serviços prestados a aristocratas, altos funcionários e à casa imperial. É o caso da loja Ruifuxiang, na rua Wangfujiang, que se dedica principalmente ao comércio de tecidos de seda e roupas de estilo chinês como o gipão, túnicas de seda, e roupas com design da dinastia Tang. Foi criada em 1893, no reinado do imperador Guangxu da dinastia Qing e, quando foi fundada a Nova China, a primeira bandeira nacional de cinco estrelas foi feita com a seda da loja Ruifuxiang e a fama vem também das primeiras-damas estrangeiras que ali iam comprar cortes de seda, echarpes ou roupas.
PATO À PEQUIM
video
Na Rua Wangfujing, há muitos restaurantes famosos e mercearias de tradição histórica, como o Restaurante de Pato Laqueado de Pequim, a loja Wufangzhai, a loja Quansuzhai, o Restaurante Goubuli, o restaurante Donglaishun, é só escolher.
Porém, aqui fica uma mostra do movimento e da técnica de corte, do famoso "Pato à Pequim", do Restaurante Quanjude aberto desde 1864 e que já conheço desde 1997, embora tenha encontrado agora tudo remodelado e quase irreconhecível, continuam a servir bem e a qualidade mantém-se.

Nesta altura do ano, muitas lojas exibem este doces, na sua maioria confeccionados de frutos de diversas regiões. Pelo aspecto apelativo e pela qualidade deste tipo de produtos, as vendas sobem em flecha, para se fazerem ofertas aos amigos e familiares nestas datas festivas.

TENDINHAS DE COMIDA

A vida nocturna é o que mais atrai os turistas à avenida. Não só pela agitação, que a noite traz, neste mercado nocturno, é possível encontrar uma infinidade de comidas, desde espetadinhas de carne, panquecas, camarão frito, lulas...

e ainda... outras iguarias da gastronomia chinesa, tais como espetadinhas de escorpião e de larvas, (entre outras infinidades de bicharocos), que tal?

Mas existem petiscos feitos na rua de bom aspecto, muito apetitosos e que têm uma fila de clientes para os comprar.
É o caso destes deliciosos jianjiao fritos, de camarão, carne ou legumes, desaparecem rapidamente dos tabuleiros.

Com o frio que faz, que tal umas castanhas quentinhas e estaladiças?

Não têm só este bom aspecto, como são doces e baratas. Com 2 ou 3 yuan, fica empaturrado para o resto da noite.

Bom... mas da nossa parte, preferimos uns crepes enroladinhos em mel, que fizeram na maioria das vezes, as nossas delicias!
Se vier a Pequim, um passeio pela Rua Wangfujing é indispensável para o seu programa de visitas. Pode estar certo disso!

1 comentário:

Francy e Carlos Guttierrez disse...

Vamos pela segunda vez a Pequim, mas como já fazem 12 anos da primeira vez não me lembro dessas lojas, lembro-me sim da rua, mas não era tão moderna.
Gostei da reportagem...
abs,