quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Festa da Lua ou Festividades de Outono

É no dia do 1.º mês lunar que recai uma das festividades mais importantes do calendário chinês:
o Festival de Lanternas.

Este ritual popular, este ano inicia-se logo ao amanhecer do dia 3 para 4 de Outubro, quando a maioria das famílias chinesas penduram lanternas de vários feitios nas suas habitações.
É desconhecida a origem definitiva deste costume, mas a explicação mais corrente e plausível aponta para um acto de prevenção contra as picadas de insectos nocivos, que anualmente invadem as noites de verão.

No passado longínquo, as lanternas eram fabricadas com rabanetes de cor encarnada. Antes de dar início ao processo de fabrico, cortava-se o rabanete ao meio. Em seguida, retirava-se a pele e o recheio, transformando-se assim cada metade numa espécie de recipiente semelhante a uma taça de contornos finos, que seguidamente se enchia de azeite.
Finalmente, acrescentava-se um pavio que, uma vez aceso, emanava uma luz suave e misteriosa. Havia quem pintasse os rabanetes de cores diferentes, proporcionando excelentes efeitos de luz.
A tradição das lanternas tornou-se uma prática comum entre a sociedade chinesa.
Os comerciantes, por exemplo, ao reabrirem os estabelecimentos no 7.º dia do 1.º mês lunar, que corresponde às celebrações de Ian-Iat(Aniversário Universal, ganharam o hábito de pendurar lanternas coloridas nas portas das suas lojas, atraindo assim grande número de clientes.
Ao longo dos tempos, foram surgindo muitas variedades de lanternas de estilos e materiais diferentes, tais como papel, palha, plástico, seda, etc.

As ruas das cidades são decoradas com figuras miticas chinesas iluminadas por dentro, animais, frutos e candeeiros de cores colidas que dão um ar alegre a todas as ruas.
Noutros tempos, quem pretendesse prosperidade para o seu gado, expunha lanternas em forma de bois, ovelhas, porcos, entre outros animais de criação, ao passo que os lavradores ou camponeses optavam por pendurar nas portas e janelas das suas casas, lanternas com feitios de frutos como a melancia, pêssego, laranja, maçã e outras tantas variedades. Habitualmente as lanternas ficam permanentemente acesas 24 horas por dia, até ao 16.º diado mês lunar.
Em Macau, ainda hoje, as lanternas policromáticas, iluminadas com velas, proporcionam nas ruas um colorido excepcional.

É também uma ocasião em que as familias invadem os jardins transportando candeeiros coloridos e de feitios variados, sobem a locais elevados e se deslocam às praias de Coloane, que se enchem de gente em animadas vigílias nocturnas, olhando a lua redonda e brilhante que parece sorrir e convidar todos a provarem os tradicionais bolos lunares, que têm como recheio uma gema de ovo, que simboliza a lua e que arrasta consigo o romantismo e o mistério inerentes ao seu culto...

Os bolos lunares, também chamados bolos "bate-pau", por serem metidos à paulada dentros das formas de madeira. Várias lendas são lembradas nesta altura e passadas aos mais pequenos, que as ouvem fascinados.
À semelhança do que acontece em Macau, também na maioria das cidades e povoações de toda a China celebram anualmente com grande euforia e colorido nocturno, o carismático Festival de Lanternas.

Baseado e adaptado do livro de Leonel Alves

7 comentários:

ARO GERALDES disse...

Hola Irene, eu sou um jornalista argentino, e estou procurando um blog de futebol en Macau. Se você conhece um, por favor, escreve-me para fazer contato com o blogger. I find many pages in Chinese, but none in Portuguese.
Saudações da Buenos Aires e eu convido você a visitar o meu blog: International football journalism
Pablo

Leocardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Não existe nenhum blogue de futebol em Macau. A única informação pode ser lida na imprensa (http://wordpress.pontofinalmacau.com ou www.hojemacau.com) e a página da FA Macau está em chinês e inglês, mas nem sempre actualizada -> http://www.macaufa.com/eng/index.html

MACAU BANGKOK O MAR DO POETA disse...

Estimada Amiga e Ilustre Romancista Irene,

É sempre belo ficar-se a saber sobre as festivades que se realizam em Macau, e esta é uma das muitas e das mais festejadas entre os chineses e não só.
Sobre este interessante tema já escrevi vários artigo, e como não desejo bater sempre na mesma tecla este ano nada escrevi.
Esta quadra é uma das mais lucrativas para os comerciantes, pela venda dos bolos lunares, que este ano estão bem caros.
Recordo-me que, quando estava ao serviço recebia de presente dezenas de caixas dos bolos lunares, os quais oferecia a meus amigos, este ano, quando me encontrava em Macau, e sendo possuidor de um talão para levantar uma dúzia de bolos numa das pastelaria da cadeia Maxims, indaguei junto da empregada se podia utilizar o taláo para comprar bolos lunares.
A resposta foi positiva, mas, me esclareceu que se eu paga-se em dinheiro o bolo que eu escolhi, daqueles que tem muitas coisas dentro, desde pevides até presunto chinês me custaria 38 patacas, se utilizasse o talão o bolo me ficaria por 54 patacas.
Resultado nada comprei.
Aqui em Bangkok, os há à venda, e para matar saudades comprei um, fabricado no Hotel Sangrilá, pelo preçco de 25 baths, ou sejam 5.90 patacas.
E o bolo estava delicioso, como tal em Macau náo alimento oportunitas.
Um feliz Festival de Outuno.
Abraço amigo

Paula Martins disse...

Olá Irene, que bom que é entrar no seu blog e puder enriquecer os conhecimentos com esses costumes tão diferente vindos dessa cultura tão nobre. Adorei.

Beijinhos

O Espírito do Tai Chi disse...

Amiga Irene,

O tempo não tem sido muito para aqui vir. Hoje resolvi fazer-te uma "visita" (são 0,30h em Portugal).
Continuas, como tão bem sabes fazer, a dar-nos a conhecer um pouco desse Macau longinquo. Não desistas porque tens muito para nos dares.

um abraço amigo,

António Serra

Anónimo disse...

Amiga!
Está tudo bem contigo? O teu blog tem estado parado há imenso tempo. Diz alguma coisa. Tenho saudades dos teus "post"
Beijinhos
Sissi