terça-feira, 27 de outubro de 2009

MIF - Feira Internacional de Macau

A população de Macau andou, desde quinta-feira, muito agitada com várias actividades e festas.
De salientar, na parte que me toca, a sempre esperada Feira Internacional de Macau – MIF, que esteve de portas abertas, no Casino "The Venetian", de 22 a 25 de Outubro, onde participaram, mais de três mil visitantes profissionais, vindos do interior da China e do estrangeiro, integrados em 288 delegações comerciais provenientes 61 países e regiões.
Ao contrário do que acontece noutros certames homólogos, a MIF prima pela variedade.
Os bens de consumo, equipamentos e produtos de marca, designadamente, o vestuário e o calçado, foram as principais apostas das empresas nacionais para o desenvolvimento de negócios em Macau.

No pavilhão reservado a Portugal, a sociedade industrial de peixe congelado, Sabamar, procurava representações em Macau, depois de já ter conseguido expandir o negócio até Angola e Reino Unido.
Mas havia de tudo – desde malas de senhora, passando pelas casas de luxo, a sardinhas congeladas, havia uma grande dinâmica por parte das diversas empresas ali representadas. Todas elas à procura de negócios com a Região do Delta do Rio das Pérolas e de alargar as suas carteiras de contactos.

VINHOS
Havia algumas empresas bem conhecidas, de várias nacionalidades, mas inclinei-me para as portuguesas, a começar pela conhecida "Encosta do Sobral", até à Sociedade Agrícola Casal do Conde, na qual me detive, por ser a primeira vez que vinha a este certame e porque a região do Ribatejo tem fama pela qualidade das suas vinhas, onde há mais de 2000 mil anos se produz vinho de qualidade.
O excelente vinho produzido pela Soc. Agrícola Casal do Conde, dispõe das melhores terras do Vale do Tejo, com castas nobres seleccionadas e cujos vinhos, resultado de uma tradição secular aliada a modernas técnicas de vinificação onde o saber ancestral acumulado marca lugar, competem nos mais exigentes mercados.

No mesmo certame, esteve a "Wine & Gourmet Asia" (WGA), que se realizou em simultâneo com a MIF, onde 644 expositores provenientes de 48 países e regiões mostraram os seus produtos e serviços nos 1.074 stands instalados no recinto.
Não só a área da exposição foi aumentada, como foi, também, enriquecido o seu conteúdo, com a instalação de pavilhões para os novos países participantes, incluindo os países-membros da ASEAN e a Rússia, intensificando ainda mais o aspecto internacional da Feira.

Dentro do certame da Wine & Gourmet Asia, esteve a decorrer, também ao vivo, a confecção de trabalhos em chocolate artistico, pelos alunos do Instituto de Formação Turistica - IFP.

Aqui fica um dos complicados e lindos trabalhos confeccionados em chocolate, destes alunos do I.F.P. de Macau.

Imobiliária
Já na área reservadas às empresas, chamava a atenção uma maqueta gigante (e iluminada) que dava pelo nome de “Residência Macau” – um complexo residencial de luxo, com a assinatura da San You Developement.
A empresa diz que participa na MIF por uma questão de imagem. “Há uma série de pessoas que já nos perguntaram se este belo edifício estava para venda. Nós estamos aqui para promover este tipo de projectos e fazer contactos com potenciais compradores.

Desfiles de moda
Não faltaram as passagens de modelos para eles e... para elas,desde fatos desportivos, a tudo o que a moda dita internacionalmente, despertando a atenção e a curiosidade do público que, no final,aplaudiu entusiasmado o desfile dos jovens modelos.

É claro que as noivas tiveram um lugar de destaque! Desde o clássico e tradicional vestido branco...

... a vestidos de noite de excepcional bom gosto para cerimónias e festas, que deixaram muitas senhoras paradas em frente do expositor com um ar sonhador...
pertencentes à "Agência Comercial Nubiano" (Macau), que tem apenas um ano de existência no mercado, e que decidiram participar na feira, na esperança de encontrarem compradores estrangeiros e assim se expandirem até à Europa. Mas para surpresa dos empresários, a maioria das encomendas foram feitas por clientes do continente Chinês.

Casa de Portugal
Este “stand” procurou representar o conjunto de várias actividades de ordem cultural, desenvolvidas ao longo dos anos em Macau, para os seus associados e simpatizantes da cultura lusa.
A Casa de Portugal em Macau, sem fins lucrativos, promove exposições, concertos, ciclos de cinema, pequenos cursos e “workshops” de formação artística e técnica, relacionados com joalharia e gravura, cujos trabalhos ali estiveram expostos.

Macau mantém um laço histórico muito antigo com os países europeus, sendo o primeiro entreposto comercial da Europa no Extremo Oriente, criado há já vários séculos.
Os países de Língua Portuguesa, Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e Timor Leste, com uma população total de mais de 200 milhões, constituem um mercado com grande potencial de desenvolvimento que complementa o desenvolvimento económico da China.
Graças ao seu passado histórico e cultural único, Macau tem envidado os seus melhores esforços no sentido de se tornar uma "plataforma de cooperação económica e comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa".

Foi com muita curiosidade que visitei os stands de África, onde iam sendo trocados cartões de visita entre visitantes e negociadores, fazendo perguntas, querendo saber mais sobre estes países, se poderão investir onde e em quê,uma vez que estes países estão em franco desenvolvimento como destinos turísticos de interesse internacional.

BRASIL:
Investidores e consumidores ao redor do mundo, voltam os olhos para o Brasil!
Economia forte, instituições sólidas e avanços em áreas de tecnologia, são a sustentabilidade e inclusão social que atribuíram ao Brasil, um novo papel no cenário internacional.
Seguindo esta trajectória de crescimento e solidez, o país tem ganho credibilidade suficiente para se colocar como uma componente obrigatória no portfólio dos principais investidores.
Como porta de entrada para o Mercosul, o Brasil apresenta vantagens competitivas para as empresas de Macau, ao mesmo tempo que pretende dinamizar o intercâmbio comercial com a RAEM – Região Administrativa de Macau, que está muito bem posicionada como plataforma de exportações entre a China e os países de língua portuguesa.

EMPRESAS CHINESAS
Destaca-se entre muitas outros, o grande stand da "Fujian Huian Hulan Figure Carving Stone Factory (República Popular da China), de iniciativa governamental e que pela primeira vez participou na MIF, com o objectivo de dar a conhecer os seus trabalhos e difundir a sua cultura.
Tiveram o êxito esperado, porque muitas pessoas invadiram o espaço cheias de curiosidade e parecendo bastante interessadas não só nos produtos, como em estabelecer contactos, pela activa troca de cartões.

O chá está estreitamente ligado à vida dos chineses. Nos tempos remotos, os nossos antepassados já conheciam os efeitos medicinais do chá para o homem e, desde acerca de 4 mil anos, o chá começou a tornar-se uma bebida indispensável no dia-a-dia da população. Nas dinastias Qin e Han, no início da nossa era, o cultivo e o processamento do chá obteve grande desenvolvimento e desde o primeiro século, tomar chá ficou num hábito popular até hoje, na vida diária de uma família chinesa.
Não podia faltar nesta feira, muitos stands onde o chá foi divulgado através de várias proveniências e países, que tiveram o seu lugar em destaque, com o seu fiel público nas respectivas provas.

CONCLUSÃO:
Com a evolução histórica da MIF, que se tornou numa feira de renome fora de Macau, o sector de convenções e feiras, teve também um desenvolvimento acelerado. Nesta edição da MIF, em termos de organização, construção de stands, houve o cuidado de usar materiais recicláveis, verificou-se uma maior participação das empresas de convenções e feiras locais.
Através do resultado da afluência à MIF deste ano, pode-se constatar que o nível da indústria de convenções e feiras em Macau tem estado a progredir, integrando-se gradualmente nos padrões internacionais.

4 comentários:

Sereia disse...

Boa tarde,amei as fotos maravilhoooooooosas e a matéria também...Muito lindo....
Beijosssssssssssssssss

Zé Carlos disse...

Irene querida, esta feira deve ter sido um espetáculo. Adoro este tipo de Exposições pois nun espaço restrito sabemos um pouco de cada raça, de cada país.
Que bom que o Brasil esteve presente e vcs puderam ter uma pequena idéia de como é esta antiga colonia portuguesa nos dias de hoje.

Obrigado por nos fornecer esta mostra de como é a sua terra e a sua vida.

Beijão do teu amigo

Anónimo disse...

Ahhhh agora percebo porque andaste tão fugida do blog! Pois é, sempre a sassaricar...
Bem! Mas que inveja eu tenho dessas tuas passeatas. Nunca páras, mas pelo menos vais partilhando as tuas andanças com quem queira aprender alguma coisinha no teu blog.
Adorei os temas e as fotos.
Beijinhos e... continua a dar-nos estes presentes.
beijinhos
Filipa Santos

Anónimo disse...

Mas que coisas tão fantásticas que Macau tem. Nós temos aqui feiras, mas acho que essas são diferentes, por ter muito de oriental, desde objectos a comidas.
SORTUDA!
Beijos
Sissi