domingo, 14 de junho de 2009

Cerâmica de Shiwan


Uma vez em Cantão, (Guangdong), decidimos visitar a cidade de Foshan que fica no distrito de Shiwan, conhecido desde a dinastia Ming, como a capital da cerâmica do Sul, e que fica a 25 quilómetros para sudeste de Cantão, contando, actualmente, com sete, das 12 maiores empresas de cerâmica para a construção civil existentes na China.
O nome de "Foshan" que, traduzido significa "colina do Buda", apareceu na dinastia Tang (618-907) quando foram descobertas na colina da povoação Ji Hua Xiang, três estátuas do Buda deixadas por um monge.
E assim, percorremos a estrada recortada por canais, paisagem de bananais, casas castanhas, culturas e mais culturas, até chegarmos à cidade, que regista uma longa história na produção da cerâmica.
À semelhança do que sucede noutras cidades da China, também aqui o trânsito, a publicidade e a multidão são intensos, no entanto é o seu centro histórico, com os seus monumentos e a arquitectura que são, sempre, os predilectos para as câmaras fotográficas dos turistas que, como eu, se entusiasmam com esta cultura.



Esta é a entrada da fábrica de esculturas figurativas, peças artísticas, onde é feita a recriação de peças antigas, estátuas, utensílios de culto e frontarias.




A fábrica está dividida em diversos estúdios, onde cada um tem a sua especialidade.



É feito o molde com gesso e outras misturas e mais tarde, depois de seco, são descoladas as figuras de vários tamanhos e feitios...




Depois de saírem dos moldes, os pormenores tais como as barbas, pregas dos fatos, acessórios nas mãos dos bonecos,etc., são feitos manualmente.




Esta é a fase da pintura em série. As figuras seguem depois para o forno.




Este é o forno que, segundo nos disse o guia, tem mais de seiscentos anos. Tem vários níveis, patamares ligados por túneis que obliquamente em rampa, encaminham o calor do forno, feito com lenha para as diferentes câmaras. Colocam-se as peças separadas dentro dos cilindros de barro, para evitar que, se alguma estoirar, danifique as outras. O forno tem três câmaras, cada uma com diferentes temperaturas de cozedura, o que permite os efeitos desejados nos vidrados.



Em visita guiada entrámos no museu da fábrica onde nos foi explicada a técnica tradicional da cozedura e a História da Cerâmica da região. Falam-nos de um outro forno a gasóleo, mais fácil de manusear que, actualmente, é controlado por computador.
Após muitas experiências, tem havido uma grande evolução nos vidrados, começando, assim, a aparecer os brancos e uma grande gama de cores que evoluíram, surgindo peças que parecem de porcelana.



Repare-se na perfeição desta figura, parece de porcelana!




Aqui está uma mesa com os banquinhos e um elaborado painel, tudo em cerâmica, que, os mestres dos fornos, com a sua vasta experiência, conseguem resultados admiráveis como estes aqui expostos.



Esta belissima jarra, com um metro e setenta, (mais alta que eu...), tem uma história:- no reinado do imperador Qianlong (1735-1796) os artesão eram tantos que cada um começou a especializar-se e depois a organizaram-se em cooperativas. Uma delas, a "cooperativa dos produtores de potes de flores", cuja especialidade era o fabrico de vasos, jarras de grandes dimensões e telhas ornamentais, mostra através da peça, aqui exposta, a beleza do seu espantoso e elaborado trabalho em relevo e cor. Só apetecia levá-la para casa!







Aspecto das peças em cerâmica, à venda na loja à saída da fábrica. Há uma grande colecção de esculturas figurativas de Shiwan, algumas encontram-se no Museu de Arte de Macau, que conta com cerca de 300 peças. São obras de arte, de famosos escultores, muito admiradas pelo seu realismo e perfeição.






Este é o encantador jardim que circunda toda a fábrica. A filosofia chinesa afirma que o corpo, a mente e o ambiente externo se influenciam mutuamente e por isso é preciso recrear um ambiente de ar puro, para manter a saúde e a paz espiritual.
De facto, neste lugar, o silêncio, a água e o verde das árvores, trazem-nos um sentimento de paz e relaxamento ao contemplarmos toda aquela beleza, tão caracteristica em qualquer recanto da China.
Um dos recantos do jardim...



E chegou a hora do almoço! Foi-nos servida uma excelente refeição no restaurante de um hotel, e, a pedido do nosso guia (e motorista, que se vê aqui na foto), foram incluídos pratos típicos regionais desta zona. O nosso guia garantiu-nos que era necessário um alimento abundante e nutritivo para nos abastecer de energia essencial, para podermos prosseguir no nosso "tour" e, de facto, tivemos um dia bastante intenso...
Depois do almoço, fomos visitar o "jardim residência" da Família Liang, que eram poetas e pintores famosos nesta cidade, mas essa história ficará para um outro dia.

8 comentários:

Eduardo Trindade disse...

Olá!
Muito obrigado pelas tuas palavras carinhosas! É bom saber que, através dos textos, tocamos e criamos ligações com gente de tão longe.
Quanto à China, estive aí no ano passado e fiquei fascinado. Não fuia Guangdong, é verdade, mas os lugares por onde passei me marcaram muito.
Abraços!

Anónimo disse...

Olá amiga!
Deve ter sido muito giro esse lugar. Cerâmicas à parte, fartas-te de passear...
Beijinhos para todos.
Ana Maria

Anónimo disse...

Para a próxima, também quero ir...
Bjs.
Ines

Anónimo disse...

Essas figuras são o máximo!!!!
Principalmente aquele jarrão vermelho, ficava muito bem no meu hall de entrada.
Bons passeios.
Filipa

Anónimo disse...

Penso que há uma outra fábrica de cerâmica que fica ao pé de um templo? Tem uma espécie de cascata feita de potes de barro. Não sei se foi a essa que eu fui, mas esta parece-me diferente. Em qualquer dos casos, acho esta foto reportagem muito bem feita. Pode continuar...
Zé Carlos

Anónimo disse...

Que comida mais esquisita essa, que está na mesa!

O Espírito do Tai Chi disse...

Amiga Irene,

Quanta beleza nos dás a conhecer.
Nós que estamos cá deste lado do mundo e que passamos a conhecer o "outro" através de ti.
Na 9ª fotografia a contar de cima há um dos bonecos que importei há muitos anos dos Esatdos Unidos. Nem te digo quanto me custou porque até parece mal...

Um beijinho e continua nessa tua bela senda...

António Serra

katiete disse...

Bom dia, sou admiradora de arte sou de são paulo e rescentemente eu comprei duas estátuas chinesas e gostaria de saber o seu significado e real valor, será que vc pode me ajudar? se puder me mandar seu e-mail enviarei fotos delas