quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

O fenómeno Lady Gaga

Stefani Joanne Angelina Germanotta, que nasceu em 1986, mais conecida por Lady Gaga, tornou-se a cantora pop que conquistou o mundo com os seus temas, mas é também uma surpresa ambulante: nunca se consegue adivinhar qual a extravagância que vai fazer ou vestir, a seguir.
O certo é que esta criatura parece não conhecer limites na sua ânsia de surpreender o público e, em 2011, foi protagonista das maiores excentricidades no que se refere ao campo da moda e dos seus polémicos clips.
Goste-se ou não, é impossível negar que Lady Gaga vai onde mais ninguém se atreveu ir antes dela. O mundo inteiro rende-se aos seus pés, incluindo o Japão, onde a admiração dos fãs neste país, toca as raias do fanatismo.
Mistura elementos sensuais e religiosos no seus clipes, beija mulheres, usa roupas excêntricas, usa looks provocantes nos espectáculos, diz querer superar os U2, Michael Jackson, Rolling Stones e Madonna; veste-se de "zumbi" para ir a uma festa, aparece nua num clip, a dançar numa clinica psiquiátrica, etc, etc, etc, enfim, tudo aquilo que a Madonna já fez 20 anos atrás, ela imita de forma ainda mais extravagante e arrojada.
O que, por sua vez, vários outros artistas já têm feito desde a década de 50. Para completar o grotesco quadro, ela faz questão de usar sempre uma grossa e grosseira maquilhagem de modernidade. Por detrás dessa maquilhagem, porém, apenas mais do mesmo. Nada de diferente, nenhuma inovação, nenhuma proposta nova, apenas usa e abusa de uma excentricidade obscena, que afinal a tem levado aos píncaros da fama, porque o público aplaude e quer mais...
Nesta foto, Gaga inventou um acessório para curtir uma noite na casa noturna Nevermind, em Sydney, na Austrália.
A cantora estava com um look inteiro nude e escondeu-se num véu branco e longo.
Fala-se também que a actriz pratica rituais satânicos, para aumentar ainda mais os rumores de que o seu sucesso foi alcançado por parte de um trato demoníaco.
O site "Truthquake" declarou que, durante a sua estada em Londres, no ano passado, uma funcionária do hotel, onde ela ficou hospedada, teria alertado os seus superiores por a cantora ter deixado a banheira cheia de sangue após desocupar o quarto, o que causou um certo pânico entre o pessoal da limpeza.
Uma fonte contou que, na verdade, Gaga se teria banhado com sangue como parte de um ritual satânico. Após relatar o acontecimento, a gerência do hotel advertiu esses funcionários para que "esquecessem o assunto".

Mas o que realmente me impressiona não é a artista requentar antigas polémicas. O que espanta é que tais polémicas requentadas surtam efeito. Após toda a revolução cultural das décadas de 60 e 70, a mais do que batida fórmula de misturar sensualidade à iconografia católica ainda pega e choca. Décadas após Jim Morrisson se masturbar no palco durante um show, Michael Jackson esfregar os genitais enquanto dança, Madona beijar na boca, em plena actuação, uma das meninas do seu coro. Actualmente Lady Gaga, entre outras loucuras, tem agora a ideia estapafúrdia de lançar um perfume, cuja fórmula é uma mistura de sangue e sémen, que, pelos vistos, ainda rende (muita) conversa nos tablóides e dá bastante matéria para aos média, sempre atrás tudo o que seja depravação.
Só pode haver uma explicação para isto: mesmo após tanta revolução cultural, mesmo após tanta libertação e tanto confronto com o status quo, a sociedade actual, aparentemente, não mudou nada, uma vez que permanece fundamentalmente conservadora e retrógrada, a ponto de se chocar com as mesmas fórmulas, aquelas que chocavam nos anos 20, 30, 40…
Verdade seja dita, que o público já acolhe certas excentricidades da "Lady" com uma certa indiferença, talvez por isso, ela tenha que ser cada vez mais criativa, persistente e aterrorizante nas suas novas fórmulas de chamar a atenção.

AS DROGAS
Como boa parte das celebridades, Lady Gaga também viu a imprensa especular sobre escândalos que envolveram a sua vida amorosa. A revista "Star", por sua vez, publicou um Julho do ano passado, uma reportagem na qual dizia que a estrela sofria com abuso das drogas e distúrbios alimentares. O jornalista responsável por essa matéria, definiu-a como sendo uma bomba ambulante.
- “Aqueles que trabalharam com ela durante a última tourné de shows, disseram que Gaga pode ficar semanas a comer um quase nada, só para conseguir entrar nas suas fantasias" - disse um repórter. - "Ela é doente e obcecada com o seu peso. Gaga fica horas em frente do espelho analisando e criticando seu corpo. É uma obsessão doentia."
Apesar do público achar que as fantasias e maquilhagens carregadas fazem parte do espectáculo, Halperin revelou os motivos ainda mais sinistros que a levam a fazê-lo:
- "Ela sofre de Lúpus – uma doença crónica, auto-imune, que causa inflamações em várias partes do corpo, na qual Gaga já revelou sofrer - está muito pior do que ela deixa transparecer",- disse ele - "Um dos maiores motivos para Gaga usar tantas perucas e maquilhagem carregada, é que o cabelo dela cai muito, e está coberta por manchas vermelhas, efeitos da sua doença, razão porque anda com a maquilhagem tão carregada, para disfarçar essas manchas."
A saúde e o distúrbio alimentar não são os únicos problemas apontados pelo jornalista.
- "Ela começou a usar drogas muito cedo. De heroína, cocaína até ecstasy, os amigos dizem que ela já usou de tudo, talvez por isso se esconda nesta personagem chamada Lady Gaga, que nem é uma pessoa real.
A menina conhecida como "Stefi" para os seus amigos e familiares, praticamente desapareceu."

O LADO MASCULINO DE GAGA
Depois de encarnar inúmeras facetas, 2011 foi o ano da cantora surpreender o público (como se isso fosse possível), ao exibir o seu lado masculino.
A cantora apareceu, quese irreconhecivel, nas imagens de divulgação, no vídeo clipe da música “You And I" e em outros eventos, usando a roupa do seu alter-ego Jo Calderone. As imagens foram divulgadas no Twitter oficial da cantora.

FESTIVAL DE QUEDAS
A trajectória de Gaga é formada por momentos surpreendentes. Mas na cerimónia de entrega do Video Music Awards de 2011, o fenómeno pop chamou a atenção por um imprevisto.
A estrela acabou por escorregar e caiu de frente, ao tentar descer de cima de um piano. Outras quedas foram presenciadas pelos fãs, como aconteceu num show em Houston e em outra apresentação em Atlanta, ambas em Abril do ano passado, que leva muitas pessoas a interrogar-se se estaria drogada ou doente?!

COMPLEXADA
Para esconder a sua baixa estatura de 1,55m, a cantora costuma usar saltos altíssimos por onde passa e nos ensaios que protagoniza.
Mas, o ano que passou, Gaga exagerou. Para se deslocar a fim de ser fotografada para uma das edições da revista "Vanity Fair", ela precisou de ser levada ao colo por um homem para poder deslocar-se até ao local do ensaio, que foi feito pela renomada fotógrafa Annie Leibovitz.
Apesar da aparência de rebeldia, Lady Gaga não se está a “rebelar” contra nada. Todos os seus actos, não são uma tentativa de contestação ou de rebelia mas apenas e só uma tentativa de permanecer o máximo tempo possível sob os holofotes dos mídia. E o seu sucesso nesta empreitada é o resultado directo de algo sintomático na nossa sociedade: dá-se demasiada à aparência e muito pouca, ao conteúdo. E é precisamente neste ponto que caímos nas mesmas polémicas requentadas de décadas atrás. Se prestássemos mais atenção ao conteúdo, veríamos em Lady Gaga apenas a tentativa patética de ser diferente, sendo igual. De “inovar” mas que vai repetindo fórmulas. De chocar com os mesmos actos dos nossos pais ou talvez mesmo nossos avós.
Mas para não parecer muito pessimista, tenho que reconhecer que tudo isto tem ao menos um lado positivo: antes a Lady Gaga com as suas extravagâncias requentadas, do que a Britney Spears quando fingia que era virgem! Em Maio de 2011, Lady Gaga deu que falar com o clipe de Alejandro, em que dança sensualmente vestida de freira, engole um terço e simula ser violada por um grupo de homens. É claro que, antes mesmo de ser apresentado ao público, o vídeo foi criticado pela Igreja Católica, como não podia deixar de ser, pois achou uma provocação de Gaga ao interpretar uma personagem bíblica de forma provocatória e nada “santa”.
Em Judas", o segundo single do álbum "Born This Way", ela aparece vestida de Maria Madalena e aponta um revólver a Judas.
Tudo isto numa tentativa desesperada de atrair os holofotes e as críticas para si, porque talvez seja esta a maneira de chamar a atenção de diversas camadas de população, mesmo pela negativa, o importante é que todos a conheçam.

HOMENAGEM A AMY WINEHOUSE
Durante sua passagem pelo estúdio da rádio americana, Gaga expressou a sua admiração por Amy Winehouse e aproveitou para deixar um recado aos fãs sobre a vida e morte de Amy:
- "Muitas pessoas me confundiam com ela na rua. Sou grande admiradora de Amy e o mundo perdeu uma grande artista. O que lhe aconteceu foi uma lição para o mundo, por isso, não matem a superstar. Vamos cuidar da sua alma"! disse.
Recentemente, Lady Gaga prestou uma homenagem à cantora na sua página no Twitter, onde expressa a grande admiração que nutre por ela:
"Amy mudou a música pop para sempre. Lembro-me de não me sentir sozinha por causa dela. Amy viveu o jazz, ela viveu os blues", escreveu na sua página.

Muito mais se poderia escrever sobre a "Lady das confusões", pois são tantas as polémicas que envolvem cenas patéticas e infelizes, que poderemos perguntar: quem será mais doentio? Ela, ou o público que lhe dá tanta atenção e a vai promovendo nestas e noutras loucuras? Que final terá esta cantora, à semelhança de outros artistas deste mesmo estilo? Só o futuro o dirá…

1 comentário:

Kinha disse...

E fica a questão no ar: doente é ela ou o público? altamente pertinente.