sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Amizades que partem...

Uma amiga muito querida vai partir para um emprego melhor, com garantias de um melhor futuro que aqui não tem. Hoje em dia, é difícil encontrar um emprego que garanta estabilidade, por isso ela vai partir…

Macau tem esta especificidade: novas amizades que aqui se fazem e que dão um determinado colorido à nossa vida, mas um dia, alguns têm de partir pelas mais variadas razões.
A vida é feita de chegadas e partidas, de descobertas e desilusões. E de libertações! Quantos de nós já não perdemos aquilo que possuíamos, ou julgávamos possuir?
Quantas vezes não vemos alguém que estimamos deixar-nos, demasiado de repente?
As pessoas que deixámos entrar na nossa vida, trazem-nos momentos únicos...e levam um pouco de nós quando partem.
Acredito que dentro de nós temos muitas “caixinhas”, todas elas prontas para arrumarem as nossas recordações e momentos da nossa vida.
É em cada uma delas, que arrumamos as amizades que perdemos pelas mais variadas razões, as paixões que acabaram antes do amor, os amores que não foram suficientemente corajosos, as relações que se desfizeram sem aviso, os desgostos, as alegrias, etc.
São essas caixinhas que estão dentro dos nossos sentimentos, que albergam pessoas, momentos, emoções e os transformam em recordações. Tudo muito bem arrumadinho, para permitir que a vida continue a fluir com o seu habitual ritmo alucinante mas afinal, fascinante.
Essas “caixinhas” fazem-nos sentir leves, livres e humanos. Nem sempre as arrumações são fáceis. Podem demorar dias, meses ou anos.
Há que sofrer, gritar, questionar. E há que compreender, interiorizar e aceitar. Então aí estamos prontos para arrumar ou fazer o luto, seja do que for, não é mais do que isso: querer arrumar, depois de questionar e encontrar as respostas. E todos nós possuímos as ferramentas necessárias para o fazer, não quando queremos, mas quando estamos prontos.

Para ti, Maria, vou arrumar na “caixinha” com todo o carinho, a excelente relação de amizade que mantivemos, os nossos dias de convívio, de alegrias partilhadas, os momentos de cumplicidade, os passeios, os risos…
És uma pessoa muito especial, difícil de encontrar nos dias de hoje, pela tua franqueza, lealdade e sinceridade transbordantes. Fiquei fã da tua disposição em dedicar o melhor da tua alma a tudo a que te propuseste, essa tua solicitude ímpar, este teu ânimo contagiante e puro...
Estejas onde estiveres, estou certa que encontrarás sempre um caminho pleno de êxitos e muitas amizades. Eu continuarei atenta ao teu trajecto de vida, que desejo sejam sempre repletos de sorte, saúde, sucesso, serenidade, paz e muito amor.