terça-feira, 28 de abril de 2009

O grãozinho de areia


Era uma vez um grãozinho de areia que vivia no deserto no meio de milhões e milhões de outros grãos de areia. Um dia, com um ar sonhador, disse aos amigos mais próximos: - "Hei-de sair do deserto!" E os amigos, às gargalhadas, começaram a fazer troça dele: - "Idiota! Não passas de um grão de areia. A tua vida é no deserto e nunca vais sair daqui." - "garanto que hei-de sair" - insistia convencido o grãozinho, indiferente às gargalhadas dos outros.
Um dia, o vento começou a soprar muito forte e acabou por se levantar uma grande tempestade no deserto. Todos os grãozinhos de areia deram as mãos e juntaram-se de forma a não voarem com o vento. Foi então que o nosso grãozinho largou as mãos dos outros e se deixou levar pelo vento e voou, voou por muitas e muitas horas.
Quando o vento deixou de soprar, ele estava sobre as águas do mar e caiu. Foi para o fundo dos oceanos, aterrando numa ostra. Passado algum tempo, este grãozinho concretizou finalmente o seu sonho e transformou-se numa pérola...

Só tão alto o que alcanço,
posso crescer;
Só tão longe quanto exploro,
posso chegar.
Só na profundidade para o que olho,
posso ver;
Só à medida que sonho,
posso ser.
(Karen Rovn)

1 comentário:

Foca45 disse...

Era bom que todos fôssemos como esse grão de areia que indiferente "às más línguas" seguiu em frente!