sexta-feira, 6 de novembro de 2009

A Borboleta


Era uma vez um pequeno casulo! Um dia, apareceu no casulo um pequeno buraco.
Um homem sentou-se curioso a observar uma borboleta que tinha acabado de deixar de ser larva e que há várias horas tentava sair pelo pequeno orifício.
Conforme ela se esforçava, parecia menos conseguir, até que a certa altura, o homem pensou que a borboleta tinha desistido, porque tinha parado de fazer qualquer progresso, dando a ideia que ela tinha ido o mais longe que podia e, cansada, não conseguia fazer muito mais.
Então o homem decidiu ajudá-la: pegou numa tesoura e cortou o casulo, facilitando completamente a saída da borboleta. Reparou então que o corpo dela estava murcho, demasiado pequeno e tinha as asas amachucadas e moles.
O homem continuou a observá-la esperando a qualquer momento que as asas abrissem no seu habitual esplendor. Mas as asas não esticavam e o seu corpo não se afirmava com o passar do tempo. Para desânimo do homem, nada aconteceu.
Na verdade, a borboleta passou toda a sua curta vida rastejando num corpo murcho e de asas encolhidas, nunca foi capaz de voar. O que o homem na sua gentileza e vontade de ajudar não podia saber era que, quando apareceu aquele pequeno buraco apertado no casulo, não era por acaso. O buraco apertado obrigava a borboleta a fazer o esforço necessário para que o fluído do seu corpo passasse para as asas, fortalecendo-as de forma a deixá-la pronta para voar logo que estivesse livre do casulo.
Esta pequena história, serve para ilustrar alguns acontecimentos da nossa vida. O modo como Deus faz as coisas, não são deixadas ao acaso e assim se aplica aos seres humanos e às suas vidas, porque o esforço é justamente o que precisamos na nossa vida prática. Se Deus permitisse que passássemos através das nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ficaríamos aleijados! Nós não iríamos ser tão fortes, quanto poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos voar!
Eu pedi forças... e Deus deu-me dificuldades para me fazer forte!
Eu pedi sabedoria... e Deus deu-me problemas para resolver!
Eu pedi prosperidade... e Deus deu-me cérebro e músculos para trabalhar!
Eu pedi coragem... e Deus deu-me obstáculos para superar!
Eu pedi amor... e Deus deu-me pessoas com problemas para ajudar!
Eu pedi favores... e Deus deu-me oportunidades!
Eu não recebi nada do que pedi... mas recebi tudo o que precisava!

1 comentário:

MACAU BANGKOK O MAR DO POETA disse...

Estimada Amiga e Ilustre Romancista Irine,

Mais uma bela história, que lida com atenção, dela poderemos tirar muitas ilações e aprender algo mais, pois esta borboleta nos deu uma enorme lição.
Adorei ler como sempre.
Um abraço amigo e óptimo fim de semana